Dois militares são denunciados pela morte de jovem durante blitz

Eles responderão por lesão corporal e homicídio

Por O Dia

Suspeitos em carros furaram bloqueio do Exército na Vila Militar, foram baleados e um acabou morto
Suspeitos em carros furaram bloqueio do Exército na Vila Militar, foram baleados e um acabou morto -
Rio - A 4ª Procuradoria de Justiça Militar no Rio de Janeiro, denunciou, nesta segunda-feira, dois militares pela morte de um jovem, identificado como Christian Felipe Santana, de 19 anos e lesões provocadas em um menor durante blitz montada na Estrada São Pedro de Alcântara, na Vila Militar, em 5 de abril de 2019. De acordo com o Ministério Público Militar (MPM), eles responderão por lesão corporal e homicídio. 
Na época, o Comando Militar do Leste (CML) disse que quatro suspeitos em dois carros não teriam obedecido a ordem de parada e jogaram os veículos para cima dos militares, que atiraram.
"Após desobedecerem sucessivas ordens de parar, lançaram os veículos contra as sentinelas, que reagiram à injusta agressão", disse.
Além disso, disseram ainda que um dos ocupantes estaria com um objeto parecido com uma arma. Porém, o MPM contradiz a afirmação. O órgão alegou que não há possibilidade de confundir a placa da motocicleta com uma arma.
De acordo com o MPM, com um fuzil, um dos militares denunciados disparou na direção dos ocupantes e atingiu a coxa do garupa. Já o segundo denunciado também fez um disparo, que atravessou as costas de Christian e se alojou no braço do menor, segundo o órgão.
Ainda de acordo com o MPM, foi o último disparo que matou o jovem e que causou lesões no adolescente.

Comentários