Prefeitura vai abrigar 400 moradores de rua no Sambódromo

Ação tem o objetivo de impedir a disseminação da Covid-19 entre desabrigados

Por Bernardo Costa

A população em situação de rua corre riscos de contágio
A população em situação de rua corre riscos de contágio -
A Prefeitura do Rio anunciou que pretende abrigar a população em situação de rua no Sambódromo, a partir da próxima semana. A medida é para evitar que a Covid-19 atinja os desabrigados. Segundo a Secretaria municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), três espaços para 400 pessoas estão sendo adaptados no local, com limpeza pela Comlurb e instalação de chuveiros e pias por parte da Riourb. 

De acordo com a secretaria, a primeira unidade será preparada para receber 128 homens adultos, a segunda terá 144 vagas para mães com crianças, gestantes e mulheres, e a terceira terá 120 vagas para idosos. Todas as unidades terão beliche e roupa de cama. 

A SMASDH informou que solicitou ao Exército 10 tendas de campanha para adaptação de outro espaço para abrigar a população de rua, no Santo Cristo. No local, serão destinados 100 vagas para homens adultos, que serão acomodados em beliches. De acordo com a secretaria, haverá contâineres no local, que poderão ser utilizados para isolamento em caso de contágio pela Covid-19. 
Kits de higiene 
A SMASDH disse, ainda, que o prefeito Marcelo Crivella determinou, por decreto, uma verba extra R$ 418 mil para que sejam adquiridos 14 mil kits de higiene para a população em situação de rua. Segundo a secretaria, a distribuição já está acontecendo. 
A secretaria informou também que, em acordo celebrado com a Secretaria municipal de Educação, está destinando gêneros alimentícios da merenda das escolas, que continuam fechadas, para os abrigos da rede. Os abrigos que estão recebendo as doações são: Hotel Central do Brasil, Complexo de Unidades da Ilha (Stella Maris) e Rio Acolhedor. 

Comentários