Por O Dia
Rio - Funcionários do MetrôRio devem receber equipamentos de proteção individual contra o novo coronavírus, como máscaras, luvas e álcool gel.  Foi essa a determinação do juiz André Luiz Amorim Franco, titular da 17ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, que deferiu uma liminar, nesta terça-feira, sobre o tema a pedido do sindicato dos trabalhadores do MetrôRio. As medidas devem ser tomadas no prazo de 48 horas, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$10 mil.
De acordo com a decisão, as empresas também deverão orientar aos trabalhadores sobre medidas de higiene, assepsia, e, por fim, manter o meio ambiente de trabalho asseado e adaptado aos cerca de 2.500 funcionários do sistema de transporte sobre trilhos do Rio de Janeiro.

A decisão aponta que as medidas devem ser adotadas imediatamente para aumentar a proteção da saúde de empregados e terceirizados, em todo o ambiente de trabalho.
Publicidade
Procurado, o MetrôRio informou que "além do reforço na higienização dos espaços frequentados por passageiros em estações e trens, também adotou previamente uma série de medidas a fim de mitigar riscos para colaboradores e familiares e garantir o bem estar do funcionário, além da manutenção e continuidade das operações. As ações foram baseadas em protocolos das autoridades sanitárias". Confira a nota na íntegra:
"O MetrôRio informa que além do reforço na higienização dos espaços frequentados por passageiros em estações e trens, também adotou previamente uma série de medidas a fim de mitigar riscos para colaboradores e familiares e garantir o bem estar do funcionário, além da manutenção e continuidade das operações. As ações foram baseadas em protocolos das autoridades sanitárias.

- Comunicação corporativa, visando informar e conscientizar todos os colaboradores sobre os riscos relacionados à disseminação do vírus, sobre as formas de prevenção e, ainda, oferta de canais de atendimento para obtenção de informações;

- Reforço no quadro de profissionais do posto médico, a fim de fornecer assistência imediata;

- Afastamento de colaboradores que pertencem a algum grupo de risco para o coronavírus, sem perda de remuneração;".
- Intensificação na higienização de todos os locais de trabalho, incluindo cabines de trens e pontos de atendimento e de controle, além de centro de manutenção;

- Instalação de dispensadores de álcool-gel nos postos de trabalho das estações, e espaços internos de uso exclusivo de colaboradores, além da distribuição de frascos individuais de álcool-gel para os funcionários.

A concessionária reforça, ainda, que o uso de máscaras e luvas não é recomendado para a população em geral. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde recomendam uso de máscaras para os profissionais de saúde e para as pessoas que cuidam de quem apresenta sintomas de Covid-19.