Coronavírus: Bretas concede prisão domiciliar para Dario Messer, o 'doleiro dos doleiros'

Defesa alegou que doleiro tem 61 anos e é hipertenso, o que o coloca no grupo de risco para a Covid-19

Por O Dia

Defesa informa que o doleiro se encontra no grupo de risco para a doença por ter mais de 61 anos, ser hipertenso e tabagista
Defesa informa que o doleiro se encontra no grupo de risco para a doença por ter mais de 61 anos, ser hipertenso e tabagista -
Rio - O juiz Marcelo Bretas substituiu, nesta quinta-feira, a prisão preventiva de Dario Messer, conhecido como o "doleiro dos doleiros" pela prisão domiciliar. O magistrado, 7ª Vara Federal Criminal, atendeu ao pedido da defesa. Os advogados alegaram que o réu tem 61 anos e é hipertenso, o que o coloca no grupo de risco para infecção do coronavírus.
De acordo com a defesa de Messer, ele esteve internado em hospital entre 18 e 20 de março, quando a epidemia já havia chegado Brasil.  Na decisão, Bretas destacou que a medida era "questão humanitária e de saúde pública".
"Destaco, porém, que não há mudança de entendimento desse juízo quanto à necessidade da segregação cautelar do investigado, mas tão somente adequação às peculiaridades do presente momento em que o país se encontra. Trata-se, portanto, de medida de caráter extraprocessual, de natureza humanitária, que pode ser revista tão logo cessem os motivos excepcionais e emergenciais", escreveu.
O doleiro, no entanto, vai continuar preso no Complexo Gericinó, na Zona Oeste do Rio, apesar da decisão. Contra Messer há outro mandado de prisão preventiva no processo da Operação Marakata, que tramita na 2ª Vara Criminal.

Comentários