Tripulantes denunciam contaminação de coronavírus em massa em navio da Marinha

Cerca de 60% dos colaboradores - do total de 250 - estariam com suspeita da doença e trabalhando normalmente. Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Marinha informou que apenas dois os militares foram afastados de seus cargos

Por Natasha Amaral

Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da MB desinfectando o navio
Companhia de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica da MB desinfectando o navio -
Rio - Após a confirmação do afastamento de dois oficiais que prestam serviço no navio Almirante Saboia (G25), atracado na Ilha do Mocanguê, em Niterói, por testarem positivo para o novo coronavírus, tripulantes denunciaram ao DIA uma possível contaminação em massa dentro da embarcação. Segundo relatos, cerca de 60% dos colaboradores – 150 do total de 250 – estariam com suspeita da doença e trabalhando normalmente. Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Marinha informou que, além dos dois oficiais que testaram positivo para a COVID-19, três outros tripulantes do mesmo navio tiveram os testes realizados, sendo dois negativos e o terceiro ainda em análise. 
Segundo informações da Marinha, os oficiais infectados são o Comandante e o Imediato do navio. Além desses casos, a Marinha também informou que "em caráter preventivo, trinta e seis outros tripulantes estão cumprindo isolamento domiciliar por recomendação médica, por terem apresentado algum tipo de sintoma respiratório, ainda que leve".
Ainda segundo as denúncias, apesar das medidas adotadas para a descontaminação, praças continuam trabalhando, mesmo com sintomas, sem nenhum dos equipamentos de proteção. "Mandaram os dois oficias para casa e os praças continuam sofrendo. Existe uma determinação de ter 20% dos tripulantes e, mesmo assim, tem comando forçando a permanência de todos lá. É uma situação quase que escrava. É uma pandemia que está passando do limite e estão ignorando, forçando um trabalho. É desumano", disse um dos tripulantes. 
Procurada, a Marinha informou que "várias medidas vêm sendo adotadas para evitar a concentração de pessoal, como o licenciamento diário de parte da tripulação; flexibilização do horário de expediente; ampliação do horário de refeições, permitindo a divisão dos comensais em grupos menores; entre outra". Confira a nota na íntegra:
"A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando em Chefe da Esquadra, esclarece que, além dos dois oficiais que testaram positivo para o COVID-19, três outros tripulantes do mesmo navio tiveram os testes realizados, sendo que dois indicaram negativo e se aguarda o resultado para o terceiro. Todos estão sendo mantidos em isolamento e monitorados, de acordo com os protocolos estabelecidos pelos Ministérios da Saúde e da Defesa.
Além desses casos, em caráter preventivo, trinta e seis outros tripulantes estão cumprindo isolamento domiciliar por recomendação médica, por terem apresentado algum tipo de sintoma respiratório, ainda que leve. Cabe ressaltar que este número corresponde a cerca de 15% da tripulação do navio.
Quanto ao cumprimento do expediente a bordo, à semelhança do procedimento adotado para as demais unidades subordinadas ao Comando em Chefe da Esquadra, várias medidas vêm sendo adotadas para evitar a concentração de pessoal, como o licenciamento diário de parte da tripulação; flexibilização do horário de expediente; ampliação do horário de refeições, permitindo a divisão dos comensais em grupos menores; entre outras.
A Marinha do Brasil reafirma o compromisso e constante atenção em promover um ambiente de trabalho seguro ao seu pessoal, como condição essencial para a manutenção de sua plena capacidade operacional".

Comentários