Ambientes protegidos

Arquitetos elaboram cartilha para cuidados contra o novo coronavírus para casa e trabalho

Por *Rachel Siston

Isolamento social e manter as mãos higienizadas são as maneiras mais eficazes de evitar a contaminação pela Covid-19. Entretanto, é preciso estar atento aos cuidados domiciliares e no local de trabalho, já que o vírus consegue persistir em diversos objetos, por conta das superfícies de madeira, vidro, papel, plástico, aço, papelão e alumínio.

O presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil no Rio, Igor De Vetyemy, elaborou uma cartilha, junto a profissionais da Associação Brasileira para o Desenvolvimento do Edifício Hospitalar, da Fiocruz e da IAB/RJ, que é parceiro do Rio Capital Mundial da Arquitetura, com dicas para ambientes domésticos e profissionais.

Os arquitetos orientam manter ventilação natural em todos os cômodos, com portas e janelas abertas, e separar um local na entrada da casa para os sapatos, uma vez que estes carregam germes do ambiente externo. É importante dar preferência a maçanetas e torneiras que possam ser abertas com os cotovelos, e instalar prateleiras com álcool em gel a 70% em locais estratégicos. Vale utilizar sinalização para alertar sobre o uso do álcool. E mais: o uso de materiais e mobiliários de fácil higienização e até reduzir, temporariamente, o número de objetos e móveis nos cômodos, além de colocar suporte para papel toalha na cozinha e banheiro, para evitar uso coletivo de toalhas.

Os cuidados ainda se estendem aos utensílios de cozinha, que devem ser separados por morador da casa. É preciso manter frequência na limpeza de maçanetas, guarda corpos, portas de geladeiras/freezers e armários, controles remotos, celulares, tablets, teclados e mouses.

Quem mora em assentamentos precários precisa limpar o chão com detergente ou similar uma vez por dia. Se o local não contar com janelas, é recomendado fazer uma abertura do vão (1x1m) e fechamento com microtela perfurada, como mosquiteiro ou galinheiro. Se a casa tiver problemas de umidade, a orientação é fazer uma canaleta impermeável ao redor da residência, remover o revestimento da parede para aplicar produto impermeabilizante sobre a alvenaria e substituir algumas telhas de fibrocimento ou cerâmica por translúcidas, para aquecer o ambiente e evitar umidade.

Higiene da casa deve incluir álcool a 70%

A limpeza da casa também é um fator importante no combate à Covid-19. A arquiteta-urbanista do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde e doutoranda em planejamento urbano no IPPUR/UFRJ, Natália Cidade, reforça a importância de seguir as recomendações da Organização Mundial de Saúde e procedimentos de limpeza consistentes.

Os quartos e banheiros devem ser limpos todos os dias e as superfícies desses cômodos, desinfetadas com álcool a 70%. Já o piso e o vaso sanitário com água sanitária, após a limpeza. A tampa do vaso tem que ficar fechada durante o acionamento da descarga. O lixo do quarto e banheiro de um doente deve ser descartado, normalmente, com o lixo da casa. Os panos usados para a limpeza devem ser lavados a cada uso e também desinfetados com água sanitária.

Os utensílios usados pelo infectado e as roupas do corpo, cama e banho não precisam ser lavados separadamente. Contudo, só podem ser usadas por outras pessoas da casa depois de limpos. Celulares e telefones, livros, computadores, jornais e revistas precisam ser desinfectados com álcool a 70% antes de serem usados por outras pessoas. Ao recolher e lavar as roupas, não sacuda as peças.

Comentários