Vigilante da Receita Federal morre com suspeita de coronavírus

Outros cinco vigilantes estão afastados com suspeitas da covid-19, um deles está internado, mas apresenta sintomas leves da doença

Por LUANA BENEDITO

Delegacia de Comércio Exterior da Receita Federal fica na Avenida Presidente Antônio Carlos
Delegacia de Comércio Exterior da Receita Federal fica na Avenida Presidente Antônio Carlos -
Rio - Um vigilante da Delegacia de Comércio Exterior da Receita Federal (Decex) morreu, na noite deste domingo (5), com suspeita do novo coronavírus. Carlos José Martins do Valle, de 46 anos, começou a apresentar sintomas da covid-19 na sexta-feira, data em que compareceu ainda ao trabalho em que prestava serviço há mais de dez anos.
Segundo a Receita Federal, cinco vigilantes estão afastados com suspeitas da covid-19, um deles está internado, mas apresenta sintomas leves da doença. Dois servidores do órgão também estão com sintomas do novo coronavírus.
Colegas de Carlos relatam que, na quinta-feira, ele estava bem e não apresentava sintomas da covid-19. Já na sexta-feira, o colaborador da Receita se queixou de dores pelo corpo e tossia muito. No sábado, o vigilante começou a sentir falta de ar e procurou a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) no bairro em que morava, Irajá, na Zona Norte do Rio.
"No sábado, Carlos estava ainda bem e animado, até conversou com os colegas. No entanto, no domingo, a sua esposa nos relatou que ele havia piorado. Por conta do quadro clínico, cogitaram transferi-lo para o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, Zona Norte, mas houve uma mudança e ele seria levado para o Hospital do Cérebro, na Lapa", conta Flávio José Passos Coelho, superintendente regional da 7ª Região Fiscal (RJ/ES) da Receita Federal.
O vigilante morreu quando estava na ambulância para ser transferido para o hospital na Lapa. "Ele era uma pessoa muito querida pelos servidores e colaboradores da Receita", lembra Flávio. Carlos foi sepultado nesta segunda-feira no Cemitério de Irajá. Ele deixou esposa e um filho de cinco anos.
Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que Carlos José colheu swab para testagem de exame de covid-19. O óbito está sob investigação da pasta.
Por conta do caso suspeito de covid-19, a Receita Federal afastou os colegas que tiveram contato com Carlos. A sede Decex foi esvaziada e ficará fechada por tempo indeterminado. O local fica no prédio do Ministério da Economia, na Avenida Presidente Antônio Carlos, 375, no Centro do Rio. Ali, ainda funcionam diversos órgãos federais.
"Desde o início, nós adotamos medidas para a prevenção e combate da covid-19, mas existe o contato do trabalhador no meio de transporte até chegar ao prédio", comenta o superintendente.
Confira a nota da SES na íntegra:
A coordenação da UPA de Irajá informa que o paciente Carlos José Martins do Valle deu entrada na unidade no sábado (04/04) com relato de febre e tosse seca. Ele foi imediatamente atendido por um clínico e após avaliação encaminhado para sala de isolamento.

Na unidade, o paciente realizou exame de sangue e de imagem, que detectou uma inflamação na região do tórax. Carlos José colheu swab para testagem de exame de COVID-19. Em seguida, foi medicado e levado ao oxigênio.

A coordenação da UPA informa ainda que no mesmo dia solicitou a internação em leito hospitalar para Covid 19. O paciente permaneceu internado em isolamento, quando foi regulado, um dia após a entrada, para o Instituto Estadual do Cérebro (IEC). Ao iniciar a preparação para transferência, o paciente apresentou piora no quadro clínico e veio a óbito.

Comentários