Acari recebe testes de covid-19

Kits de análise rápida, que ficam prontos em 20 minutos, vêm tendo eficácia contestada pelo Ministério da Saúde

Por RENAN SCHUINDT

O tipo de teste rápido tem maior chance de dar falso negativo
O tipo de teste rápido tem maior chance de dar falso negativo -

A Prefeitura do Rio deu início ontem à distribuição de testes para a detecção da Covid-19 em profissionais de Saúde que atuam no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, na Zona Norte, referência para o tratamento da doença. Os kits — são cerca de 5 mil — emitem o resultado em vinte minutos e foram doados por um grupo de empresários. No entanto, a baixa eficácia de tais exames (cerca de 25%), como já mencionada pelo Ministério da Saúde, deixa dúvidas quanto ao verdadeiro número de infectados na cidade. Seguindo a previsão da pasta, das 5 mil unidades, somente 1,25 mil kits devem apresentar o diagnóstico correto.

O número, claro, é preocupante frente à pandemia do novo coronavírus. Não à toa, em uma série de recomendações enviadas a gestores regionais na última semana, o Ministério da Saúde apontou possíveis limitações nos testes rápidos, manifestando preocupação com o baixo índice de acerto. Na última quarta-feira, em coletiva no Palácio do Planalto, o ministro Luiz Henrique Mandetta chegou a confirmar a baixa eficácia desses kits. "Tem um índice de sensibilidade que dá falso negativo. O RT-PCR (teste de biologia molecular) tem sensibilidade muito mais alta", comparou Mandetta.

Mesmo assim, os kits de testagem rápida parecem ganhar cada vez mais espaço no mercado nacional. Levantamento com base nos dados da Anvisa mostra que, em apenas oito dias, o total de empresas credenciadas pela agência para a comercialização de novos testes mais que dobrou, passando de 8 para 17 unidades. Segundo a Anvisa, a liberação faz parte das ações estratégicas para viabilizar produtos que possam ser utilizados no enfrentamento da pandemia.

Vale ressaltar que existem dois tipos de testes: os que usam amostra de sangue e detectam anticorpos (IgM e IgG) — caso dos testes realizados no Hospital de Acari —, onde é utilizada uma pequena quantidade de sangue colhida na ponta do dedo, e os que usam amostras das vias respiratórias dos pacientes, como nariz (nasofaringe) e garganta (orofaringe) e detectam o vírus (antígeno).

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, os testes em Acari serão realizados até amanhã. O objetivo é garantir que todos os turnos do hospital passem pelo exame. Ainda segundo a pasta, parte do lote doado pelos empresários será destinada aos Centros Municipais de Saúde e Clínicas da Família.

Comentários