Higienização voluntária em favela do Rio é interrompida por falta de água

Moradores do Morro Santa Marta, na Zona Sul, faziam desinfecção do local

Por O Dia

Comunidade do Santa Marta é higienizada pelos próprios moradores para o combate ao novo coronavírus
Comunidade do Santa Marta é higienizada pelos próprios moradores para o combate ao novo coronavírus -
Rio - Em meio á pandemia do novo coronavírus, moradores do Morro Santa Marta, em Botafogo, na Zona Sul da cidade do Rio, decidiram promover uma ação voluntária para desinfectar as ruas da comunidade. Porém, na manhã desta quinta-feira, o programa de limpeza precisou ser interrompido, segundo os organizadores, por falta de abastecimento de água no local.
O composto utilizado para despoluir o Santa Marta do coronavírus é formado por um desinfetante, o quaternário de amônio, e água sanitária. Desde o último sábado, cerca de metade da comunidade já passou pelo processo de depuração.
Um dos voluntários da ação, Tiago Firmino explicou o quão difícil é para limpar as ruas sem todos os materiais à disposição. "A gente está combatendo de graça, no amor, sem ajuda nenhuma, dependendo dos moradores. Vem eu, meu irmão e mais seis, oito atrás dando toalha, ajudando a lavar nossas mãos. O morador não aguenta. Sem água ainda? Aí acabou", revelou ele.
 

Comentários