Hotel Copacabana Palace - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Hotel Copacabana PalaceFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Por O Dia
Rio - Pela primeira vez na história, o hotel Copacabana Palace vai encerrar as atividades temporariamente. A medida acontece devido o impacto causado pela pandemia do novo coronavírus. No entanto, a reabertura está prevista para o final de maio.
A administração reduziu o número de funcionários para 50 pessoas, que vão cuidar da manutenção diária e da segurança do hotel, que tem 239 quartos. De acordo com a Associação Brasileira de Hotéis (ABIH), pelo menos outros 60 hotéis interromperam as suas atividades na cidade do Rio de Janeiro. 
Publicidade
No entanto, dois hóspedes permanecerão morando no Copacabana Palace. Um deles é, por razões mais óbvias, a diretora geral do Grupo Belmond do Brasil, Andrea Natal. O outro, é o cantor Jorge Ben Jor.

Jorge vivia no Copa desde 2018 e ninguém sabia. Ou muito pouca gente, como tudo o que faz. Esta será a primeira vez que o hotel será interditado em 97 anos. Considerado um dos espaços de turismo mais luxuosos do País, o hotel tem diárias que custam até R$ 6.800 (em quartos de frente para o mar). Outras saem por R$ 5.650 (com vista para a cidade).

Inaugurado em 1923, o Copacabana Palace foi construído pelos empresários Octávio Guinle e Francisco Castro Silva. Eles atendiam um desejo do presidente Epitácio Pessoa (1919-1922), que queria um grande hotel de turismo na cidade que era a capital do País.
*Com informações do Estadão Conteúdo