Cariocas formam longas filas para regularizar o CPF e conseguir auxílio de R$ 600

Autônomos e desempregados passaram a madrugada de segunda-feira nas portas das agências da Receita Federal em Caxias e Madureira

Por Yuri Eiras

Rio de Janeiro - RJ  - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Madureira, zona norte do Rio - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Madureira, zona norte do Rio - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia -
Rio - Josemar de Lima Galvão chegou às 3h na porta da agência da Receita Federal, em Duque de Caxias. Às 5h, José Ricardo dos Santos, de muletas, foi mais um a engrossar a fila de quem madrugou para regularizar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) e seguir tentando o auxílio-emergencial de R$ 600, dado pelo governo federal para ajudar autônomos e desempregados durante a pandemia do novo coronavírus. Agências da Receita Federal no Rio receberam longas filas. Quanto mais gente chegava, mais histórias de dificuldade se misturavam na aglomeração. Em todas, os R$ 600 ajudaria e muito nesse momento de aperto financeiro.
Pedreiro autônomo, José Ricardo caiu de uma escada e quebrou o calcanhar há dois meses. Sem trabalhar, tem corrido atrás dos R$ 600, mas esbarrou na notícia de que seu CPF estava com o nome da mãe escrito errado. "Estou de muletas, com a perna quebrada. Eu cheguei na Receita e o atendimento foi muito ruim. Falam que tem que deixar cópias de um documento no envelope, mas não avisam isso equanto estamos na fila. Tive que pedir um real emprestado para pagar a xerox. Estou sem nada", reclamou o pedreiro. "Deixei o envelope e em três dias voltarei para ver se deu certo. Esse dinheirinho ia vir numa hora boa".
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Duque de Caxias, baixada fluminense - na foto, Jose Ricardo dos Santos, chegou as 5h na fila - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Assim como José Ricardo, Josemar de Lima também não conseguiu acertar as pendências do CPF da esposa pela Internet e foi pessoalmente na Receita Federal de Duque de Caxias. Ele chegou às 3h de segunda-feira e só saiu por volta do meio-dia - a agência abriu às 10h. Apesar da ordem de evitar aglomeração, a fila, segundo Josemar, tinha centenas de pessoas.
"Eu cheguei cedo para tentar resolver meu problema. O CPF da minha esposa está suspenso por causa do título de eleitor dela, mas já fizemos a biometria. Entrei pelo site da Receita Federal, não consegui. Nem no aplicativo você consegue resolver o problema. Aqui pessoalmente não falaram nada, não deram prazo. Mais de 200 pessoas na fila. Quase saiu pancadaria", contou. "Eu sou motorista rodoviário. Já estou em casa há um mês e meio. Eu tenho muitas contas para pagar. Os R$ 600 eram só para minha esposa comprar uma cesta básica dentro de casa. O povo está perdido e não sabe aonde resolver e com quem resolver".
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Duque de Caxias, baixada fluminense - na foto, Josemar de Lima galvao, chegou na fila as 3h30 - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Aglomeração também na Zona Norte
A agência da Receita Federal em Madureira também lotou de gente na porta para regularizar o CPF, como o cabeleireiro Marcelo Monteiro. "Cheguei seis horas da manhã, só por volta de 11h30 entreguei a documentação e estou esperando o retorno. Eu tento fazer o cadastro no site e falam que o meu CPF está irregular. Aí eu vim para ver", explicou. "Sou cabeleireiro e MEI (Micro Empreendedor Individual), mas a loja está fechada. Então, a minha esposa está segurando a onda em casa e a gente tem recebido ajuda de familiares. Mas está cada vez mais apertado. Os R$ 600 fariam diferença", completou.

Mulheres chefes de família começam a receber auxílio

Caroline Sousa tenta receber o auxílio para mulheres chefes de família - REPRODUÇÃO TWITTER
As mulheres chefes de família que se cadastraram para receber o auxílio-emergencial do governo recebem hoje o pagamento da Caixa Econômica Federal. O benefício para elas será de R$ 1.200, cota dupla. Estão enquadradas no auxílio as mulheres com filhos que são responsáveis pelo sustento familiar. É o caso de Caroline Sousa, mãe de uma criança de cinco anos e moradora do Morro do Castro, em São Gonçalo. O cadastro dela, no entanto, permanece "em análise". Caroline segue com dúvidas e aguarda ser contemplada.
"Estou desde quarta-feira entrando no site para saber. Só fica 'em análise'. Eu tenho poupança na Caixa. Na minha conta, o saldo está zerado. Eu trabalho fazendo panfletagem, e com essa pandemia foi tudo suspenso. Moro de aluguel, tenho filho de cinco anos e o pai não cumpre as obrigações e não paga pensão. Está difícil", lamentou Caroline. No seu site, a Caixa dá um prazo de até cinco dias úteis para aprovar os benefícios a partir do dia do cadastro.

Como regularizar CPF para receber auxílio emergencial do governo

Trabalhadores informais, desempregados, MEIs e contribuintes individuais do INSS devem estar com o cadastro do CPF regularizado para receber o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal, durante a pandemia de Covid-19. Até ontem, a Receita Federal atendeu mais de 90 mil solicitações de regularização e no início da segunda-feira, restavam pouco mais de 7 mil pedidos não analisados, segundo o órgão fiscal. Não há necessidade de ir à unidade presencial da Receita Federal, a alternativa recomendada pela entidade é solucionar as pendências pela internet para evitar aglomerações em filas de atendimento.

Nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, a força-tarefa organizada pela Superintendência Regional da Receita Federal na 7ª Região Fiscal (RJ/ES) conseguiu responder mais de 11 mil solicitações de contribuintes enviadas pelo e-mail atendimentorfb.07@rfb.gov.br. Este é um dos meios de fazer a regularização do cadastro, caso não consiga pelo site da Receita. 

Para checar a situação do CPF é necessário entrar no site (http://receita.economia.gov.br/) e digitar o número do documento e a data de nascimento. Em caso de CPF suspenso, pode existir pendências como o contribuinte que não entregou a declaração do Imposto de Renda, nos últimos cinco anos. Para resolver, basta enviar a declaração de IR do ano referente ao atraso. Outras demandas também levam a irregularidades no CPF: cadastro do contribuinte incorreto ou incompleto, multiplicidade ou fraude nas inscrições, que leva a anulação do documento.

Os trabalhadores com pendências relacionadas à Justiça Eleitoral, como aqueles que não votaram e não justificaram a ausência, já tiveram o CPF regularizado para receber o benefício. Segundo a Receita, no total mais de 11 milhões de cidadãos não serão impedidos de fazer o cadastro devido a este tipo de pendência.

É importante destacar que as atualizações realizadas no CPF podem demorar até 72 horas para refletirem no sistema da Caixa Econômica Federal, mas todas as pessoas que atualizaram o cadastro vão conseguir solicitar o auxílio.

Colaborou  Letícia Moura

Galeria de Fotos

Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Madureira, zona norte do Rio - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Duque de Caxias, baixada fluminense - na foto, Jose Ricardo dos Santos, chegou as 5h na fila - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Duque de Caxias, baixada fluminense - na foto, Josemar de Lima galvao, chegou na fila as 3h30 - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 13/04/2020 - COVID 19 - Coronavirus na cidade do Rio - Fila para regularizar o CPF, em Madureira, zona norte do Rio - na foto, Marcelo Monteiro - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro