Coronavírus: tiroteios no Grande Rio caíram 45% no primeiro mês de quarentena

O registro foi feito entre os dias 14 de março e 13 de abril, pela plataforma Fogo Cruzado

Por O Dia

-
Rio - No primeiro mês de quarentena no Rio, o número de tiroteios/disparos por arma na Região Metropolitana caiu 46%. O registro foi feito entre os dias 14 de março e 13 de abril, pela plataforma Fogo Cruzado, quando foi decretada a limitação da circulação e do exercício de atividades não essenciais como medidas para a não propagação do novo coronavírus.
O aplicativo registrou 460 tiroteios/disparos no Grande Rio neste período. Ao todo, 137 pessoas foram baleadas durante a quarentena - destas, 58 morreram. 
Em comparação com o mesmo período de 2019, quando houve 839 tiroteios no Grande Rio, 129 pessoas foram mortas e 133 ficaram feridas, o isolamento social representou ainda uma queda de 55% no número de mortos e 41% no número de feridos. Houve também queda de 47% na quantidade de tiroteios com a presença de agentes de segurança, foram 125 neste primeiro mês e 236 no mesmo período do ano anterior.
Dentre os baleados houve 15 agentes de segurança, sete mulheres, três crianças (com idade inferior a 12 anos), dois adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) e outras sete pessoas foram vítimas de balas perdidas no Grande Rio.
Houve ainda uma pessoa baleada dentro de casa e três casos com três ou mais mortos civis em uma mesma situação, no total, nove civis foram mortos nestas circunstâncias.
Médias diárias
Com uma média diária de 14 tiroteios, o período pré-quarentena (entre 1º de janeiro e 13 de março) somou 1.024 registros este ano. Apesar da redução em relação ao mesmo período de 2019, o mês de isolamento apresentou reversão na tendência de queda de tiroteios/disparos de arma de fogo.
A região metropolitana do Rio teve um aumento de 6% na média diária de disparos de arma de fogo durante o primeiro mês de isolamento social, foram 460 registros que indicaram uma média de 15 tiroteios por dia.
Em contrapartida, houve uma queda de 19% na média dos tiroteios com participação de agentes de segurança (foram 363 no período pré isolamento, média de cinco tiroteios diários e 125 durante a quarentena, média de quatro tiroteios diários).
Houve queda de 47% também na média diária de mortos na Região Metropolitana do Rio: foram 256 mortos antes da quarentena, cerca de quatro mortos por dia neste período e 58 mortos durante o isolamento, média diária de dois mortos durante o primeiro mês de quarentena.
Municípios
O município do Rio de Janeiro concentrou, com 299 registros, 65% de todos os tiroteios no Grande Rio durante a quarentena (460). Em seguida vêm São Gonçalo (46), Duque de Caxias (32), Niterói (17) e Belford Roxo (17).

Bairros

Entre os bairros, a Vila Kennedy (31), Cidade de Deus (19), Quintino Bocaiúva (14), Complexo do Alemão (12), Costa Barros (11) e Realengo (11) foram os do Grande Rio com mais tiroteios durante o primeiro mês da quarentena. 

Comentários