'Escolha achatar a curva': campanha global explica o impacto das ações de cada indivíduo durante pandemia

Traduzida do inglês "Choose to flatten the curve", a campanha é uma iniciativa, produzida em Berlim pelo diretor de arte Luter Filho

Por O Dia

 A atual Administração Municipal tem decretado medidas preventivas contra a pandemia do coronavírus para garantir a qualidade de vida da população
A atual Administração Municipal tem decretado medidas preventivas contra a pandemia do coronavírus para garantir a qualidade de vida da população -
Rio - Já é comum, ao falar sobre o coronavírus, usar a expressão “achatar a curva”. Isso ocorre porque o vírus é extremamente contagioso e, ao se espalhar, rapidamente sobrecarrega os sistemas de saúde com sua curva ascendente. As medidas de isolamento são a principal maneira de prevenir que essa curva suba muito rápido, indo além da capacidade do sistema e, por isso, foi criada a nova campanha global 'Escolha achatar a curva', que irá abordar o tema com gráficos simples mostrando o impacto das ações de cada indivíduo na curva da doença durante a pandemia.

Traduzida do inglês "Choose to flatten the curve", a campanha é uma iniciativa, produzida em Berlim pelo diretor de arte Luter Filho e cedida gratuitamente para os órgãos interessados em disseminar a mensagem, inclusive inscrita em editais da Organização das Nações Unidas (ONU) e Organização Mundial da Saúde (OMS).

"A ideia é explicar de uma forma simples o gráfico com as curvas. Algo que, muitas vezes, é complicado para a maior parte das pessoas. Há duas opções: curva fora do limite do sistema ou dentro. A decisão cabe às nossas ações. Está na mão de cada um o caminho a seguir e trazemos uma legenda global que explica isso", explicou Luter Filho.

O secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, afirma que a parceria é importante para, mais uma vez, reforçar que as pessoas precisam ficar em casa. "O Rio de Janeiro foi pioneiro nas medidas de isolamento no país, mas, se continuarem relaxando e ignorando as recomendações, teremos em breve muitos problemas. Não há sistema de saúde no mundo que aguente lidar com a doença sem achatar a curva", disse.

A campanha mostra o impacto de ações simples, como a diferença entre sair para trabalhar e trabalhar de casa, ou entre encontrar amigos pessoalmente e por videochamada, representando a curva alta nas primeiras atividades e menor, dentro da capacidade do sistema, ao agir de acordo com as recomendações das autoridades de saúde globais. As peças estão sendo publicadas nas páginas oficiais da Secretaria de Estado de Saúde e também através do site

Comentários