Dedicação que salva

Bombeiros relatam orgulho de fazerem parte da linha de frente no combate ao novo coronavírus

Por Lucas Cardoso

A capitão Paula (acima) e a sargento Elaine(alto): dedicação
A capitão Paula (acima) e a sargento Elaine(alto): dedicação -

Salvar vidas. A missão primária dos militares do Corpo de Bombeiros nunca foi tão desafiadora. Mesmo no cenário atual de pandemia do novo coronavírus, em que a população é orientada a ficar em casa, eles ainda precisam apagar incêndios, resgatar feridos em acidentes e fazer atendimentos médicos de emergência. "Sabemos dos riscos, não podemos ficar em casa. Escolhemos salvar vidas. Então, eu me sinto orgulhosa da minha profissão", conta a sargento Elaine Marmelo, técnica de enfermagem do Corpo de Bombeiros de São Pedro da Aldeia.

Desde o início da quarentena, todos os militares são orientados sobre as medidas corretas de enfrentamento à propagação do vírus. As normas tem como base o protocolo do Ministério da Saúde. De acordo com a técnica de enfermagem, além das práticas indicadas aos demais cidadãos, como utilizar máscaras e lavar as mãos com frequência, foram redobrados os cuidados com a higienização do ambiente do alojamento, fardamento e viaturas. "Prevenção é a palavra de ordem para frearmos este vírus", ressalta a militar.

A capitão Paula Mesquita, médica da Diretoria de Socorro de Emergência do CBMERJ, diz que todas as etapas de um atendimento feito pelo Corpo de Bombeiros foram atualizadas para evitar o risco de contaminação pelo novo coronavírus. As mudanças vão do socorro à vítima ao regresso à unidade, passando pelo transporte, pela chegada à unidade de saúde e pela descontaminação de viaturas, descarte de materiais e uso de equipamentos de proteção individual.

Segundo Paula, estar na linha de frente no combate ao novo coronavírus representa um teste para todo conhecimento que adquiriu enquanto ainda era uma estudante de Medicina: "Eu me sinto realizada em poder fazer parte deste grupo de profissionais".

Fora do quartel

Mãe de duas meninas, a militar conta que precisou ampliar os cuidados com a higiene ao chegar em casa. "Ao chegar do plantão, todo cuidado é pouco. Deixo os sapatos fora de casa, separo a roupa usada em sacos apropriados e vou tomar banho. Só após a higienização adequada, é que tenho contato com a minha família", explica a militar.

Outra mudança adotada por Paula foi a de limpeza de produtos vindos de mercados e entregues em sua casa. Segundo a bombeira, os itens agora são muito bem lavados antes de ocupar um lugar na dispensa. 

Galeria de Fotos

A capitão Paula (acima) e a sargento Elaine(alto): dedicação Divulgação
A capitã Paula Mesquita, médica da Diretoria de Socorro de Emergência do Corpo de Bombeiros Divulgação

Comentários