Bar Beco do Rato distribui refeições

Por

A tradicional feijoada do Dia de São Jorge no bar Beco do Rato, na Lapa, foi um pouco diferente ontem. Ao longo de 12 anos sempre reunindo clientes, vizinhos e pessoas em situação de rua, desta vez, por causa do coronavírus, teve a presença apenas desses últimos. O dono do estabelecimento, Lúcio Pacheco, com a ajuda de funcionários e voluntários, distribuiu 630 quentinhas no dia do santo guerreiro.

Além dessa ação, desde o início do mês, Pacheco está distribuindo todos os dias 200 quentinhas para os sem-teto.

A festa anual que geralmente conta com atividades sociais como cortes de cabelo, banhos e doação de roupas não aconteceu, para não provocar aglomerações. Pacheco explica por que decidiu fazer a feijoada mesmo com a pandemia.

"Nós cogitamos até de suspender tudo este ano, mas vimos a necessidade de continuar, pelo fato de ter muita gente na rua passando ainda mais dificuldades. O apoio que recebi foi muito grande, os próprios funcionários estão saindo de suas casas para ajudar, tudo voluntariamente. Dessa, forma surgiu essa corrente que está ajudando muitas pessoas".

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro