Presidente da RioLuz morre por complicações do novo coronavírus

Prefeitura lamentou a perda do profissional

Por O Dia

Max Kelli Motta, tinha 41 anos e não resistiu à complicações do coronavírus
Max Kelli Motta, tinha 41 anos e não resistiu à complicações do coronavírus -
Rio - O executivo do alto escalão da Prefeitura do Rio e presidente da RioLuz, Max Kelli Motta, de 41 anos, não resistiu às complicações provocadas pelo novo coronavírus e morreu neste sábado. Ele estava internado no Hospital São Lucas, em Copacabana, Zona Sul do Rio. A informação foi confirmada pela Prefeitura do Rio.
Max era funcionário do Tribunal de Contas do Município (TCM) e estava cedido à Prefeitura para realizar o trabalho de chefiar a RioLuz.
A prefeitura do Rio emitiu uma nota de pesar e disse lamentar profundamente a perda de Max, que "por sua competência, honestidade e espírito publico, conquistou o respeito e a admiração de todos os seus colegas. Pedimos a Deus que console a família e os amigos nesse momento de saudade, tristeza e dor", disse.
O ex-secretario municipal de Conservação, Roberto Nascimento, publicou nas redes sociais uma mensagem de homenagem ao amigo com quem já havia trabalhado. Segundo ele, a esposa de Max está grávida do segundo filho.

Comentários