Crivella inaugura hospital

Unidade de campanha do Riocentro, na Zona Oeste do Rio, conta com 100 leitos de UTI e 400 de enfermaria

Por Anderson Justino

 Capacidade total do espaço é de 500 leitos, sendo 100 de UTI e 400 de enfermaria. Na primeira fase, serão 100 vagas, sendo 
20 de UTI
Capacidade total do espaço é de 500 leitos, sendo 100 de UTI e 400 de enfermaria. Na primeira fase, serão 100 vagas, sendo 20 de UTI -

Construída para reforçar o atendimento a pessoas com a covid-19, a unidade recebeu, em seu primeiro dia de funcionamento, cerca de 80 pacientes, mas ainda não está funcionando com sua capacidade máxima, por falta de equipamentos e profissionais. O prefeito Marcelo Crivella homenageou às vítimas que morreram em decorrência da doença pedindo um minuto de silêncio.

Ele disse que deve se reunir neste fim de semana com representantes da indústria, comércio e serviços para traçar um plano de retomada. "Com esses leitos, com certeza vamos baixar essa curva que hoje está em 20 óbitos por dia", disse o prefeito.

Nessa primeira fase, a unidade vai oferecer 100 vagas nos leitos, sendo 20 de UTI. A capacidade total do espaço é de 500 leitos, sendo 100 de UTI e 400 de enfermaria. O prefeito garantiu que a até a próxima sexta-feira a cidade deve receber os 400 respiradores da China. Ainda assim, o município deve ganhar ainda neste fim de semana 20 respiradores e 40 monitores doados pela Vale do Rio Doce.

"Precisamos de equipamentos e de pessoal. Com esses equipamentos, nós vamos chegar à carga máxima para abrir vagas aqui e no Gazolla", disse o prefeito, referindo-se ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari. Cerca de 120 profissionais da área da saúde vão atuar no hospital de campanha do Riocentro na fase inicial. A prefeitura abriu processo para contratar mais médicos.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro