Hospedagem estudantil incomoda vizinhos

Aglomerações e muito barulho na vizinhança incomodam quem respeita a quarentena

Por Yuri Eiras

Antigo Hotel Novo Mundo, no Flamengo, hoje hospeda estudantes
Antigo Hotel Novo Mundo, no Flamengo, hoje hospeda estudantes -

Em tempos onde a ordem é permanecer em casa e os dias parecem cada vez mais pesados, a tranquilidade e o silêncio não têm preço. Vizinhos da Uliving, empreendimento de hospedagem de estudantes que funciona no lugar do antigo Hotel Novo Mundo, na Praia do Flamengo, reclamam do barulho que os jovens moradores têm feito nos feriados e finais de semana. A vizinhança também têm medo da aglomeração entre eles.

Uma moradora do prédio ao lado reclama da falta de privacidade. A janela de seu apartamento é bem perto do espaço de convivência dos estudantes. "Eu coloquei uma mesa aqui do lado, mas nunca mais me senti à vontade de trabalhar nela. Sempre tem gente conversando com música altíssima. Às vezes, eu almoço, quero descansar um pouco e não posso. Isso porque são poucas pessoas", conta a vizinha, que prefere não se identificar. A unidade, recém-inaugurada e ainda em reforma, terá capacidade para até 400 estudantes. Os valores dos quartos variam entre R$ 1.530 e R$ 2.950 mensais por pessoa. O prédio ainda é pouco ocupado por conta da suspensão das atividades nas universidades: muitos que já moram ali decidiram voltar para as suas cidades, e quem procurava um quarto precisou adiar a mudança.

"Todo dia à tarde, por volta de cinco e meia, eles fazem exercício. Aí, você escuta a voz de várias pessoas. Claro que eles estão se aglomerando", reclama um morador do prédio vizinho. "No quinto andar, tem uma senhora de cama, com acompanhante e tudo. É um inferno. O que ela falou é que estava tendo festinha até essa última semana, já com a pandemia rolando". 

Em nota, a Uliving afirmou que "a marca tem regras de convivência internas – que estão ainda mais rigorosas por conta da pandemia do novo coronavírus – alinhadas com a lei do silêncio do Rio de Janeiro".

A empresa garante que têm reforçados os cuidados de higiene aos funcionários e moradores. "Desde o início do isolamento social, a empresa tem tomado uma série de medidas, reforçando diariamente as normas da OMS, como o distanciamento entre os moradores nas áreas comuns, o uso de máscaras nas dependências do prédio e frequente higienização das mãos. A empresa também suspendeu novos contratos durante este período, restringiu a entrada de visitantes, passou a fornecer transporte particular aos trabalhadores essenciais, realiza limpeza frequente nas áreas comuns com produtos de higiene hospitalar e a disponibiliza de álcool em gel para funcionários e moradores", diz o comunicado.

Comentários