Governo Witzel estuda possibilidade de lockdown com bloqueio de estradas

Estado descarta decretar a medida agora, mas definiu um grupo de estudos para deixar um plano de isolamento total pronto, se for necessário tirá-lo do papel

Por PALOMA SAVEDRA

Governador Wilson Witzel não pensa em lockdown no momento, e oferecerá auxílios aos municípios que decidirem adotar a medida
Governador Wilson Witzel não pensa em lockdown no momento, e oferecerá auxílios aos municípios que decidirem adotar a medida -
O governo do Estado do Rio de Janeiro descarta adotar, neste momento, o lockdown como medida de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Mas, após uma reunião na noite desta quinta-feira, o governador Wilson Witzel decidiu deixar pronto um projeto de isolamento total se necessário for.
Secretário da Casa Civil e Governança, André Moura confirmou a informação e disse a O DIA que será definido um grupo de estudos para preparar e estudar essa medida. 
"Não estamos definindo que haverá. Mas, se necessário for, se entendermos que é pra fazer, estamos nos preparando. Vamos definir um grupo de estudo que vai preparar e analisar o lockdown. Se entendermos necessários vamos colocar em prática, assim como um plano de saída dele (do isolamento)", afirmou Moura.
Todas as medidas serão analisadas dia a dia e coordenadas pelo Gabinete de Acompanhamento e Fiscalização do combate à covid-19. A equipe discutirá o assunto com as diversas áreas do estado, como as secretarias de Governo, Saúde, Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Transportes, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Defesa Civil.
O governo admite a possibilidade de bloqueio de estradas, a proibição expressa da circulação de pessoas e veículos particulares, deixando fora desses impedimentos profissionais das áreas de segurança, saúde, além daqueles que exercem atividades no setor de entrega em domicílio.
Da mesma forma, os estudos apontaram caminhos para a saída do isolamento e a retomada da economia fluminense, com abertura lenta e gradual, por exemplo, do comércio. 
Por enquanto, o posicionamento do governo é apenas auxiliar os municípios fluminenses, com a fiscalização, caso eles decidam decretar o isolamento total.

Comentários