Skunna brilha

Com quase três décadas, o restaurante do chef Aylton Oliveira continua se renovando

Por O Dia

Entrada do estabelecimento, situado na Estrada dos Bandeirantes, número 23.363, em Vargem Grande. O funcionamento é de quinta a domingo
Entrada do estabelecimento, situado na Estrada dos Bandeirantes, número 23.363, em Vargem Grande. O funcionamento é de quinta a domingo -

Referência na gastronomia carioca, o restaurante Skunna, especializado em frutos do mar e situado em Vargem Grande, nunca ficou tanto tempo fechado. Em 2020 ele completa 29 anos de fundação fazendo o que faz de melhor: deliciando os visitantes com moqueca, camarão, vieira, salmão e muitas outras delícias do mar. E comemora também a reabertura, com todas as medidas de segurança, esperando que aquelas visitinhas pós-praia voltem a acontecer.

Quem conhece o espaço sabe. O chef e proprietário Aylton Oliveira recebe os clientes com o mesmo carinho que recebe os amigos em casa. Ficar distante do público na quarentena não foi fácil. Mas pra tudo tem solução, não é mesmo? O restaurante reforçou os serviços de delivery e take away, assim pôde manter a proximidade com os fiéis clientes.

E quem pensa que Aylton sempre teve intimidade com o fogão, se engana. O simpático chef começou a carreira como economista, era proprietário de uma corretora de seguros, mas abandonou tudo para viver na cozinha. Estagiou em 2008 na Escola de Gastronomia de Lyon e aprimorou seus conhecimentos com os conceituados Flávia Quaresma, Dolores Rezende e o mestre Zé Hugo Celidônio.

Sempre curioso e inovador, ele criou festivais regionais com temperos de vários cantos do Brasil, preparando receitas típicas da Bahia, Goiás, Pará... "Setenta por cento dos pratos do cardápio foram criados por mim, quase sempre com a ajuda da turma da cozinha, e os outros 30% tiveram o nosso toque. É o caso da 'moqueca carioca', que não leva dendê como a baiana mas tem leite de coco", revelou à jornalista Marcia Peltier.

Falando sobre comida

Um hábito antes da quarentena era juntar colegas restaurateurs (pessoa que abre e gerencia profissionalmente restaurantes) para trocar ideias sobre o mercado de gastronomia do Rio. Apelidado de Confraria da Porrinha, o grupo - que está com as atividades temporariamente suspensas - se reunia sempre na última terça-feira do mês, cada vez num restaurante diferente. A casa anfitriã oferecia suas especialidades, harmonizadas com selecionados rótulos de vinho. 

E não é só nas reuniões que o Skunna se mostra atual. Apesar dos quase 30 anos de funcionamento, o negócio segue se atualizando, como comprovam suas redes sociais, com fotos dos deliciosos pratos postados com frequência. É bom ficar de olho no Instagram @restauranteskunna, porque é lá que são publicadas as promoções da semana!

O Restaurante Skunna, fica na Estrada dos Bandeirantes 23.363, e funciona de quinta a domingo, de 11h30 às 19h, e na sexta com jantar até às 23h. O serviço de delivery funciona em Vargem Grande, Vargem Pequena, Recreio, Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Gávea e Ipanema.

O telefone para informções é (21) 2428-1213. Já o site pode ser acessado pelo www.skunna.com.br e o Facebook: restauranteskunna.

Opções são de cair o queixo

Se você ainda não foi ao Skunna, cuidado: seu queixo pode cair quando vir o cardápio. Se isso acontecer, pegue ele de volta porque vai precisar para poder mastigar os ingredientes fresquíssimos. Alguns dos destaques são as vieiras com molho de ervas de Provence, o poke de salmão, e o trio do mar (vieiras, lagostins e camarões).

Premiada em sua categoria, a casa se tornou uma referência em moquecas, risotos, pasteis e no clássico camarão Gruyere. Outras vedetes que brilham: feijoada de frutos do mar, filet de peixe ao molho de tangerina, camarão tailandês com talharim de arroz, camarão ao molho de ervas de provence com arroz de coco, risoto de lagostins com aspargos frescos e salmão ao molho de gengibre, limão, maracujá e mel.

E se você sentir saudade do Skunna mas não puder sair de casa - ou se quiser presentear alguém que você ama, ou ainda se estiver a fim de montar um cardápio para toda a semana -, é só levar um prato da linha de congelados, lançada no ano passado. Tem seis receitas clássicas disponíveis: feijoada de frutos do mar, bobó de camarão, o arroz Skunna, estrogonofe de camarão, camarão ao molho de laranja e feijoada tradicional.

Ah, e quando a quarentena acabar e for possível reunir os amigos e familiares para festinhas, o restaurante tem também o serviço 'Skunna em casa', uma possibilidade de desfrutar da mesma alquimia já consagrada no restaurante, mas num ambiente privativo. A estrutura é preparada para atender até 300 pessoas.

O salão que quer abraçar a todos

Apesar de amplo, o restaurante é bastante aconchegante. A casa comporta 110 clientes confortavelmente instalados e tem ainda um espaço para as crianças, banheiro para cadeirantes e varanda fechada com ar-condicionado (aberta na pandemia para a circulação do ar). Mas nem sempre foi assim, como conta Aylton.

"Inicialmente eram apenas 40 lugares, o intuito era abrir somente às sextas à noite, sábados e domingos, de forma a compatibilizar a corretora e o restaurante. Ocorre que, a essa altura, eu já havia melhorado um pouquinho as minhas habilidades culinárias e, tendo uma vasta gama de amigos e conhecidos, a grande maioria me prestigiou, o que garantiu o sucesso do restaurante e me levou a, após dois anos, tentar ser somente cozinheiro".

Comentários