O desafio de exercer o papel de pai

No dia dedicado a eles, pais relatam o desdobramento e a emoção de viver a paternidade

Por Maria Clara Matturo*

Alex contou que o maior medo que sentiu não foi de pegar a doença, mas de contaminar os filhos
Alex contou que o maior medo que sentiu não foi de pegar a doença, mas de contaminar os filhos -
Mesmo com tantas mudanças na rotina, ocasionadas pela pandemia do coronavírus, existem pais que se desdobraram para exercer o seu papel na vida dos filhos e netos. Hoje, no dia dos pais, O DIA homenageia e conta duas histórias de homens que fazem questão de estar em família comemorando a vida nesse momento incomum.

Para alguns, a correria só aumentou. Esse é o caso do servidor público Alex Lopes, pai do Gustavo, de 14 anos, e da Valentina de 8 anos, que esteve de frente no combate à Covid-19 desde o início. "Esse tempo fez eu me sentir mais pai do que nunca. No dia a dia tenho que conciliar a rotina de trabalho com a atenção que preciso dar para o meu filho, controlar o estudo, as aulas online. Já aos finais de semana saia pra buscar a Valentina, que não mora comigo, com toda aquela preocupação. Não parei de trazer ela, porque não seria justo com nós dois, mas deixamos de fazer os passeios de costume, passamos a ficar juntos em casa", Alex contou.

Na vivência do Chico Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald, a pandemia só reforçou o ressignificado que já carregava com a vida dos filhos, Carlos e Marcos. "Eu perdi um dos meus filhos, o Marquinhos, para Leucemia e isso foi o que me fez ser voluntário nessa briga contra o câncer. Se eu não tivesse passado por isso, provavelmente não me doaria pelo outro. Quando se passa por momentos como esse, que eu já vivi e todos nós estamos vivendo agora, você aprende a valorizar as coisas simples", ele relatou emocionado.

Quando se trata de momentos especiais, Chico fez questão de citar o reencontro com os netos: "No dia dos avós o meu filho, Carlos, trouxe os meus netos aqui e foi bom demais, me emocionei muito. Nós só entendemos a importância das pessoas, quando vemos a paixão dos outros em lutar pela vida de alguém. Neste momento quantos heróis não temos? médicos, policiais, bombeiros, pessoas que trabalham nos supermercados. Precisamos aprender a valorizar todas as pessoas e momentos que temos".

O exemplo que influencia os pequenos

A experiência de Chico com os filhos ressignificou toda a sua vida - Arquivo Pessoal
O psicólogo e docente do IBMR Carlos Linhares, afirmou que a presença da figura paterna é essencial para o desenvolvimento infantil: "A presença do pai é muito importante no desenvolvimento da criança, não só porque ele é integrante da família, mas também porque ele influencia na sua maneira de lidar com o mundo e como marcador importante na educação, no exemplo que orienta e guia a criança. Embora as configurações familiares sejam diversas, a figura do pai é essencial, independente do gênero ou sexo que represente essa função". 
*Estagiária sob supervisão de Bete Nogueira

Comentários