Pazuello diz que 100 mil mortes 'não é só um número' e fala em apoio a isolamento

Ministro interino da Saúde participou nesta segunda-feira da inauguração da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, Zona Norte do Rio

Por O Dia

Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, comparece à inauguração da Unidade de Apoio Diagnóstico da Covid-19, em Manguinhos, Zona Norte do Rio
Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, comparece à inauguração da Unidade de Apoio Diagnóstico da Covid-19, em Manguinhos, Zona Norte do Rio -
Rio - O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta segunda-feira, que o país sofre com as mais de 100 mil mortes por covid-19 e que isso "não é (apenas) um número". Em um discurso em que citou várias vezes um "esforço de guerra", Pazuello declarou que protocolos adotados no início da pandemia estavam errados e disse apoiar as medidas de isolamento adotadas por Estados e Municípios.
"Medidas preventivas, de afastamento social, são medidas de gestão dos Municípios e dos Estados, e nós apoiamos todas elas", afirmou. "Quem sabe o que é necessário naquele momento (da pandemia) precisa de apoio, e nós apoiamos", disse Pazuello.
O ministro participou nesta segunda-feira da inauguração da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Manguinhos, Zona Norte do Rio.

Galeria de Fotos

Rio - 10/08/2020 - Ministro Eduardo Pazuello, inaugura unidade de apoio ao diagnóstico da Covid19, na Fiocruz. Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia Byline Estefan Radovicz / Agência O Di
Rio - 10/08/2020 - Ministro Eduardo Pazuello, inaugura unidade de apoio ao diagnóstico da Covid19, na Fiocruz. Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia Byline Estefan Radovicz / Agência O Dia
Rio - 10/08/2020 - Ministro Eduardo Pazuello, inaugura unidade de apoio ao diagnóstico da Covid19, na Fiocruz. Foto: Estefan Radovicz / Agência O Dia Byline Estefan Radovicz / Agência O Di
Ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, comparece à inauguração da Unidade de Apoio Diagnóstico da Covid-19, em Manguinhos, Zona Norte do Rio Estefan Radovicz/ Agência O DIA
Unidade de Apoio Diagnóstico da Covid-19 tem capacidade para processar até 15 mil exames de coronavírus por dia Estefan Radovicz/ Agência O DIA
Unidade de Apoio Diagnóstico da Covid-19 é inaugurada na sede da Fiocruz, em Manguinhos, Zona Norte do Rio Estefan Radovicz/ Agência O DIA
O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello participou da live do presidente Bolsonaro na quinta-feita. Quase 100 mil brasileiros mortos e eles sorriem Agência Brasil
Pazuello Agência Brasil
"A gente precisa entender como parar o sangramento: diagnóstico precoce, tratamento imediato, compreensão do suporte ventilatório antes da UTI", declarou Pazuello. O ministro interino destacou a necessidade do tratamento precoce contra a covid-19. Pazuello disse que o protocolo de procurar uma unidade de saúde só em caso de falta de ar, como era a orientação do Ministério da Saúde no início da pandemia, não funcionou.
"Não está correto ficar em casa doente, com sintomas, até passar mal com falta de ar. Isso não funciona. Não funcionou e deu no que deu. E há dois meses nós mudamos esse protocolo. Diante de qualquer sintoma, procure uma unidade básica de saúde”, acrescentou o ministro interino.
A nova unidade é financiada pela iniciativa 'Todos pela Saúde', do Itaú Unibanco, e tem capacidade de processamento de testes moleculares para a detecção do novo coronavírus. O novo centro ocupa mais de 2 mil m² e está equipado com plataformas que utilizam a metodologia de PCR em tempo real, com potencial para processar até 15 mil testes moleculares por dia, sete dias por semana.
Nos próximos dias será inaugurada outra unidade em Fortaleza, no Ceará, onde a Fiocruz mantém atividades, também com recursos do Todos pela Saúde. Juntos, os dois centros têm capacidade de processar até 25 mil exames diariamente, contemplando testes realizados em todo o país.

A limitação na testagem para a covid-19 ainda é um desafio no Brasil, de acordo com Pedro Barbosa, presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), instituição ligada à Fiocruz, e integrante do conselho de especialistas do Todos pela Saúde. "Seguramente, nós temos muito mais casos do que aqueles que estão sendo notificados, pois nosso nível de testagem ainda é muito baixo", diz.
De acordo com Barbosa, para conter a pandemia é fundamental ter o controle das pessoas infectadas, o que significa aumentar o número de testes realizados no país. "Há disponibilidade de testes, com fornecimento em grande escala pela Fiocruz ao Ministério da Saúde, sendo limitações hoje a capacidade de processamento dos testes e a baixa coleta", complementa.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, e a vice-presidente do Itaú, Claudia Politanski, também participaram da inauguração do novo centro.
*Com Estadão Conteúdo

Comentários