Testando todos os limites

Andrea Baptista, musa e finalista da primeira temporada de 'No Limite', fala dos louros colhidos após o programa e revela drama pessoal

Por O Dia

ZONA OESTE - NO LIMITE - Ex-participante do primeiro reality da televisão brasileira, Andrea Baptista passa a limpo sua vida nesses 20 anos após participar da 1ª temporada de 'No Limite'
ZONA OESTE - NO LIMITE - Ex-participante do primeiro reality da televisão brasileira, Andrea Baptista passa a limpo sua vida nesses 20 anos após participar da 1ª temporada de 'No Limite' -

"A vida é um limite diário". Este é o lema que Andrea Baptista, advogada e finalista da primeira temporada do 'No Limite', carrega desde que saiu do programa em 2000 até os dias de hoje. Após passar por provas como comer olho de cabra, a musa, que hoje tem 49 anos, fez muito sucesso, mas também enfrentou a depressão depois de perder um de seus filhos em um acidente.

Andrea conta que participar do primeiro reality show da televisão brasileira não foi fácil. Ela revelou que não tinha nenhuma informação já que a tecnologia estava começando a surgir naquela época. "Sem redes sociais estávamos afogados à própria sorte! O que esperar? Só sabia que haveria um prêmio no valor de R$ 300 mil e isso poderia mudar a minha vida e de meu filho, que na época tinha apenas cinco anos. Era um sonho!", conta Andrea.

Em 2000, aos 29 anos e com muita disposição, a advogada resolveu se lançar no programa que era algo absolutamente desconhecido, uma tremenda novidade para todos os brasileiros. Logo de cara, ela enfrentou muitas dificuldades, mas conseguiu superá-las. "Passei fome, perdi sete quilos em 25 dias, fiquei sem banho de sabão por 17 dias e comi sete olhos de cabra em uma prova só! Era tudo sensacional e desafiador. Por sorte fui escoteira, então eu me jogava nas provas e sempre tinha bons resultados", revela a advogada.

Andrea relembra ainda que a final da primeira temporada de No Limite foi composta por quatro mulheres e destaca o quanto isso foi importante logo na virada do século. "Fomos quatro finalistas mulheres: eu, Juliana, Pipa e Elaine. Quem diria... levamos os homens nas costas (risos). Para uma virada de século foi incrível, mostramos que podíamos tudo. Todas com seus sonhos, testando seus limites, força física, resistência psicológica e, acima de tudo, muita coragem", conta Andrea.

Após ser finalista do primeiro reality da história da TV brasileira, a advogada, mesmo antes de as redes sociais surgirem, fez muito sucesso. Para se ter ideia, a musa foi capa de diversas revistas, inclusive da Playboy, em outubro de 2000. "Devido ao sucesso do programa, havia uma grande quantidade de fã-clubes, principalmente em Pernambuco e na Bahia. Muita gente do Nordeste se sentiu identificada por eu ter sido uma 'mulher guerreira'", conta a advogada.

Golpe do destino

Mas nem tudo são flores. Em 2013, Andrea perdeu um de seus filhos. Elias morreu após sofrer um acidente de moto dentro do condomínio em que morava, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Um acidente a olho nu, inocente, mas fatal. Elias Júnior faleceu pouco depois de atingir a maioridade, aos 18 anos e 2 meses.

Com o falecimento de seu filho, Andrea entrou em depressão. Foi assim durante três anos, quando ela finalmente enxergou que deveria erguer a cabeça e seguir. "Lutei por três anos contra a depressão imaginando como sobreviveria sem o grande amor da minha vida. Em 2016, melhorei e enxerguei meu outro filho João Bernardo, e vi que deveria continuar. Achei um bilhete do meu filho que dizia 'beijos para minha mãe linda, parabéns por tudo!'. Tatuei essa frase e coloquei na minha cabeça que desistir não era uma opção", conta.

 

Carreira no Direito e vida na pandemia

Atualmente, Andrea tem um escritório de advocacia na Barra da Tijuca e exerce a sua profissão. "Trabalho como advogada consumerista e trabalhista. Amo trabalhar e ter contato com o povo, podendo ajudar e me manter ativa". Além disso, a musa de No Limite revelou que ama viajar e que não vê a hora de a pandemia passar para matar essa saudade e conhecer a África, a Ásia e a Oceania, continentes que ela ainda não teve a oportunidade de visitar.

Em abril deste ano, um seguidor fez um pedido em um post do Boninho dizendo 'faz uma nova temporada de No Limite'. Ao ver o comentário, o diretor de Big Brother Brasil, respondeu afirmando que o primeiro reality show da televisão brasileira "está na agenda". Esta seria a 5ª temporada. Quando Andrea soube disso, ficou feliz por notar que as pessoas não esqueceram do programa. "Fiquei super empolgada com a volta do No Limite. Sofremos preconceitos na época. Quantos talentos são descobertos nas redes sociais? Hoje, as pessoas anônimas têm oportunidades que eram inimagináveis em 2000", acredita.

A advogada afirmou que está disposta a fazer parte desta nova temporada. "Quero participar, contar minha experiência, viver novas aventuras. A vida é um limite diário e vou viver cada dia como se fosse o último. Espero que o programa seja como o primeiro, sem trégua, onde só os fortes sobrevivem!", destaca a finalista da primeira temporada.

Durante a pandemia do novo coronavírus, Andrea foi testada mais uma vez no limite. A advogada foi infectada com a covid-19 em abril, mas, felizmente, venceu a doença. "Fiquei assintomática. Agora, sigo normal, treinando ao ar livre no condomínio, mantendo a quarentena e muito esperançosa sempre vencendo os meus limites".

Por fim, ela deixou um recado para o Boninho e para os outros diretores de televisão: "Desejo participar de outro reality".

Comentários