Hospital será desativado depois de quatro meses em funcionamento - Mauricio Bazilio/Governo do Rio de Janeiro
Hospital será desativado depois de quatro meses em funcionamentoMauricio Bazilio/Governo do Rio de Janeiro
Por Agência Brasil
Publicado 19/08/2020 15:36 | Atualizado 19/08/2020 15:44
Rio - O hospital de campanha construído na zona sul do Rio de Janeiro para atender pacientes com covid-19 será desativado depois de quatro meses em funcionamento, por falta de demanda. A informação foi confirmada pela Rede D'or, que arcou com R$ 40 milhões dos R$ 60 milhões investidos pela iniciativa privada para construir o hospital.
Desde 25 de abril, o Hospital de Campanha da Lagoa-Barra atendeu 742 pacientes, somando esforços à resposta do Sistema Único de Saúde (SUS) no combate à pandemia.
Publicidade
O hospital teve mais de mil funcionários e foi construído em 19 dias, em uma parte do terreno do 23º Batalhão de Polícia Militar (Leblon).
A unidade contava com 200 leitos, sendo 100 de enfermaria e 100 de unidade de terapia intensiva (UTI) Segundo a Rede D'or, equipamentos utilizados devem ser doados a hospitais universitários do Rio de Janeiro.
Publicidade
Dados da última terça-feira da Secretaria Municipal de Saúde do Rio mostram que a ocupação de leitos de UTI para covid-19 no SUS na capital fluminense, que superou 90% no auge da pandemia, atualmente está em 62%.