A beleza dos cabelos brancos

A dermatologista e tricologista Joana D'Arc Diniz, que atende na Barra da Tijuca, dá as principais dicas assumir os descoloridos sem medo de ser feliz

Por O Dia

Com o isolamento social, mulheres deixaram de ir aos salões e os brancos apareceram. Suzana Alves (foto), Fafá de Belém e Glória Pires aderiram
Com o isolamento social, mulheres deixaram de ir aos salões e os brancos apareceram. Suzana Alves (foto), Fafá de Belém e Glória Pires aderiram -

Cabelos estão sempre sujeitos a estilos e tendências. Seja o corte que a atriz adotou na novela, a cor que combina mais com a estação, o estilo liso de ser, os cachos libertadores, mas ninguém esperava que cabelo branco poderia estar na moda! É isso mesmo, exibir uma vasta cabeleira branca está em alta. Durante a quarentena, um movimento mundial nas redes sociais pela libertação de poder assumir os grisalhos ecoou também no Brasil, fazendo a cabeça de famosas como Gloria Pires, Preta Gil, Fafá de Belém, Astrid Fontenelle, Samara Felippo e muitas outras. 

Os fios brancos individuais aparecem de repente, mas se multiplicam assustadoramente para as mulheres. E o que é pior, em locais no couro cabeludo que podem comprometer a sua aparência. Pensando nisso, muitas mulheres resolveram assumir os cabelos brancos e dar um basta nas aplicações de tinturas todo mês, e até mesmo a cada quinze dias.

Mas esse tipo também precisa de cuidados especiais. De acordo com a diretora da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, no Rio, a dermatologista e tricologista Joana D`arc Diniz, não se pode descuidar da saúde dos fios. "Para evitar o amarelamento, comum na cor branca, existem xampus específicos. Diversas opções ajudam a realçar a cor prata dos fios brancos, remover o amarelo dos grisalhos e neutralizar o amarelo do descolorido", informa a especialista.

Cuidados redobrados

A tricologista revela quais são os cuidados redobrados que quem assume os cabelos brancos deve ter. "Além dos xampus específicos para o tipo de cabelo, a terapia capilar permite a melhor irrigação sanguínea na região, otimizando a nutrição celular. Outra técnica com resultados eficazes é a laserterapia, que garante a oxigenação das células no couro cabeludo", orienta.

A dermatologista esclarece que os cabelos brancos normalmente surgem a partir dos 40 anos. "De forma geral é mais comum que apareçam após a quarta década de vida, ou seja, após os 40 anos, porém já observamos muitos jovens com os fios sem cor. O estresse oxidativo, responsável pelo envelhecimento de todo o organismo, é um fator intimamente relacionado. Afinal, os cabelos também envelhecem assim como a pele e todos os outros órgãos. Mas a genética e algumas doenças ou deficiências podem antecipar o surgimento".

Mulheres sofrem mais pressão social, mas parece que o jogo está virando

Antes de assumir, Maria tingia a cada 15 dias e gastava R$ 200 - ARQUIVO PESSOAL

A dermatologista Joana D'Arc explica que tanto mulheres quanto homens tendem a ter surgimento dos fios brancos na mesma faixa etária. Porém, mulheres tingem mais os cabelos que os homens. De acordo com a dermatologista, a principal reclamação é de que os fios brancos são mais grossos, com textura irregular, mais opacos, sem brilho e mais quebradiços. Além disso, como perderam sua proteção natural, tornam-se mais suscetíveis à radiação solar, ou seja, queimam, envelhecem e consequentemente têm sua cor alterada também.

Apesar da pressão social, a tricologista garante que existe um movimento para assumir os brancos. "Algumas estão esperando o crescimento total dos fios, já que muitas se encontram na fase de transição entre a cor tingida e os fios brancos, para ver se o resultado final realmente vai agradar. Outras já cortaram a parte tingida, inclusive com mudança radical no tamanho e, portanto, no visual, e estão curtindo a aparência".

Ana Maria Colafranceschi, 68 anos, conta que os primeiros fios brancos começaram a surgir aos 34. A moradora da Barra da Tijuca, cujas madeixas, originalmente, tinham a cor castanha clara, tingia a cada 15 dias, com gasto que chegava a R$ 200 em cada ida ao salão. "O surgimento desses fios foi um choque emocional". Por não poder sair na quarentena, ela resolveu que era hora de assumir. "Pretendo manter o cabelo branco em sua totalidade como está atualmente. Nunca sofri por ter assumido os cabelos brancos, pelo contrário só recebi elogios pela minha autenticidade".

Entendendo a química dos fios

Dra Joana tira as dúvidas - DIVULGAÇÃO

É bom esclarecer que o fio branco não é um fio doente, ruim, nem menos liso ou macio que os demais. Eles até ficarão mais grossos, mas com o tempo, voltam a ficar com a espessura natural. O que define a cor dos cabelos é a quantidade e o tipo de melanina. "Cabelos pretos e castanhos contêm eumelanina, um pigmento escuro. Ruivos e louros possuem um pigmento brilhante chamado feomelanina. Já os grisalhos contêm uma pequena porção de melanina, enquanto que cabelos brancos, nenhuma", diferencia Joana D'Arc.

De acordo com a especialista, o cabelo branco aparece porque ocorre um fenômeno anatômico chamado apoptose, que é a morte da célula que produz a melanina. A morte desta célula (melanócito) é determinada geneticamente. Portanto, a questão genética é um fator crucial para desencadear o problema. "Existem famílias em que jovens, antes dos 18 anos, já apresentam cabelos brancos. Analisando pelo ponto de vista racial, nos brancos, se manifestam entre os 35 e 45 anos, nos amarelos, entre os 45 e 55 anos, e nos negros, a partir dos 55 anos".

Além da genética, um déficit nutricional pode impulsionar a profusão de cabelos brancos. É raro, mas a baixa ingestão de cobre pode levar a um embranquecimento precoce. Para retardar o surgimento de uma vasta cabeleira branca, é necessário a ingestão regular do mineral, encontrado no chocolate meio amargo e nos frutos do mar.

Comentários