Mulher é feita refém em lanchonete na Tijuca

Vítima ficou sob a ameaça de uma faca por cerca de quatro horas. Agentes do Tijuca Presente e do Bope atuaram no local

Por O Dia

Mulher é ameaçada com uma faca
Mulher é ameaçada com uma faca -
Rio - Uma mulher foi feita refém pelo namorado, nesta sexta-feira, na lanchonete Ricco's, na Rua General Roca, na Tijuca, Zona Norte do Rio. O homem, identificado como Paulo Roberto Gonçalves, de 34 anos, manteve Elaine Cristina Teixeira, de 54 anos, sob a ameaça de uma faca por cerca de quatro horas. Além da mulher, três funcionários que estavam presos no escritório foram libertados com segurança. A vítima foi encaminhada com um ferimento leve no pescoço a uma ambulância que estava no local.
Segundo a Polícia Militar, Paulo tem problemas com drogas e bebidas alcoólicas, além disso, possui três passagens pela polícia. Duas por ameaça e uma por lesão corporal na forma da Lei Maria da Penha. "Não dá para saber qual foi a motivação disso tudo ainda. Uma hora ele (sequestrador) falava que era ciúmes, depois falava que ela o traiu. A gente não conseguiu definir o real motivo", informou a PM

Galeria de Fotos

Movimentação em frente a lanchonete onde mulher é feita refém Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Jovem identificado como filho da vítima chega ao local Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Mulher é ameaçada com uma faca Reprodução / Internet
Agentes do Tijuca Presente foram os primeiros a chegar no local Reprodução / Internet
Lanchonete fica na Rua General Roca Reprodução / Internet
Inicialmente, informações apontaram que o sequestrador seria filho de Elaine. Um homem que se apresentou como filho da refém, no entanto, disse em entrevista ao programa Balanço Geral, da Record TV, que a mulher é namorada do sequestrador. Um outro filho da vítima e um sobrinho chegaram ao local por volta das 14h. Os dois foram atendidos por psicólogos, mas a Polícia não autorizou que eles se aproximassem da negociação.
Em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir o homem dizendo que "é um filho diferenciado" (Confira vídeo no fim desta matéria). Segundo testemunhas, o homem frequenta a região e apresenta distúrbio psíquico. No momento do crime, os funcionários conseguiram fugir, pulando pelo balcão.
O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi acionado e deu início às negociações, que duraram quase quatro horas.
Por conta da ação, o Centro de Operações (COR) informou que a Rua General Roca, entre a Rua Barão de Mesquita e a Rua Conde de Bonfim, ficaram interditas por quatro horas. 

Comentários