Integrante da base governista defende valor do pedágio em R$ 4,30 em sentido único - Reginaldo Pimenta / Agência O Dia
Integrante da base governista defende valor do pedágio em R$ 4,30 em sentido únicoReginaldo Pimenta / Agência O Dia
Por O Dia
Publicado 18/09/2020 19:31 | Atualizado 18/09/2020 19:31
Rio - Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), anunciou a criação de um comitê gestor que vai garantir a operação da Linha Amarela, após a encampação da via pelo município, conforme decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). De acordo com a prefeitura,  neste momento de pandemia da covid-19, não haverá cobrança de pedágio.
Ainda segundo Crivella, o comitê, que reúne representantes de vários órgãos municipais, tem dois objetivos: manter a qualidade dos serviços e buscar soluções que garantem os empregos dos trabalhadores das empresas contratadas pela antiga concessionária.
Publicidade
"Queremos manter os empregos que existem lá. Nosso procurador e o secretário de Transportes estudam uma maneira para que as empresas que lá atuam passem a atuar contratadas pela Prefeitura. Seria uma sucessão contratual", explicou o prefeito.
O acesso ao pedágio da Linha Amarela foi liberado na noite desta quarta-feira após o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, derrubar, junto ao prefeito Marcelo Crivella, as três liminares que mantinham a concessão da via com a empresa Lamsa. Após a decisão, equipes da Guarda Municipal foram até o local e liberaram as cancelas.
Publicidade
 
 
Publicidade