O governador afastado Wilson Witzel (PSC)  - Reprodução Internet
O governador afastado Wilson Witzel (PSC) Reprodução Internet
Por O Dia
Rio – Foi intimado, nesta sexta-feira, o empresário Edson da Silva Torres, que confessou ter participado dos esquemas de corrupção na Saúde do Rio. Ele irá depor no processo de impeachment do governador afastado Wilson Witzel (PSC) na próxima quarta-feira, dia 13, às 11h, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).
"Considero uma peça importante dessa trama", avalia o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), relator do processo e autor do pedido de depoimento do empresário.
Publicidade
Todos os membros do Tribunal Especial Misto têm direito a perguntas às testemunhas. Ao final de todos os depoimentos das testemunhas, o relator (deputado Carneiro) faz o relatório do processo no Tribunal Especial Misto e dá seu voto. Os demais membros do tribunal podem acompanhar seu voto, ou não.
A localização de Torres aconteceu graças à uma determinação do presidente do TJRJ, o desembargador Claudio de Mello Tavares, de realizar buscas em sistemas como Light, Naturgy, CDL, Renajud (trânsito), Siel (cadastro eleitoral), Infoseg (rede de informações de segurança pública) e também no sistema Infojud (serviço oferecido aos magistrados visando atender solicitações do Judiciário à Receita Federal).
Publicidade
Segundo o deputado Waldeck Carneiro, a importância de Torres se deve pelo fato dele ter sido um dos "principais assessores, assistentes, operadores talvez do Pastor Everaldo. Mantinha relações com o ex-secretário Edmar Santos desde que este era diretor do Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj. É réu confesso, portanto, considero muito importante para que o Tribunal Especial Misto forme o juízo mais preciso possível sobre os fatos que estão sendo apurados. É importante ouvi-lo".