André Corrêa
André CorrêaReprodução
Por O Dia
Rio - A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta terça-feira, enviar à Justiça Eleitoral o processo contra o deputado estadual Andre Correa (DEM). Por três votos a dois, a decisão atende a um pedido da defesa do parlamentar, que foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) pela suposta prática dos crimes de corrupção passiva e de integrar organização criminosa. .
Em setembro do ano passado, a ministra relatora Cármen Lúcia havia rejeitado, em decisão individual, o pedido para que o caso deixasse a Justiça Federal
Publicidade
De acordo com a denúncia do MPF, o parlamentar teria recebido vantagem econômica do ex-governador Sérgio Cabral, em troca de apoio político para que fossem viabilizados os interesses da organização criminosa dentro da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), onde era líder do governo.
Os pagamentos, em regra no valor de R$ 100 mil, teriam ocorrido a partir de 2011 e perduraram, no mínimo, até março de 2014, quando houve a mudança de governo. Em maio de 2019, o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) recebeu a denúncia.
Publicidade
Furna da onça
Corrêa foi eleito em outubro de 2018 e preso preventivamente em novembro na Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava Jato que investigou a corrupção entre deputados estaduais do Rio e empresas privadas, além de loteamento de cargos em órgãos públicos. Também foram presos na ocasião Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante), Marcus Vinicius Neskau (PTB) e Chiquinho da Mangueira (PSC).