Idosa de 61 anos admitiu mentira ao denunciar ex-marido de acorrentá-la em estrutura de passarela do BRT
Idosa de 61 anos admitiu mentira ao denunciar ex-marido de acorrentá-la em estrutura de passarela do BRT Divulgação
Por Anderson Justino
Rio - Um ato de desespero e fome. Moradora de Rio das Pedras, desempregada e mãe de um filho com problemas epilepsia, a idosa de 61 anos encontrada acorrentada, nesta quarta-feira (24), na estrutura de uma das passarelas de acesso ao Terminal Alvorado do BRT Rio, Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, reconheceu que mentiu para a polícia sobre a informação de que o autor do crime seria seu ex-marido. Imagens analisadas pela delegada Giselle do Espírito Santo, da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, não registraram a presença do suposto agressor. 
"Após tomar conhecimento dos fatos, iniciamos as diligências. Em posse dos vídeos, convocamos a vítima para prestar novo depoimento. Ao assistir as imagens, a suposta vítima declarou ter sido um ato de desespero, um pedido de socorro pois estava passando por grande crise financeira e emocional inclusive com pensamento de suicídio", explicou a delegada. 
Publicidade
De acordo com a delegada, a idosa é separada do marido há mais de 20 anos. Juntos, o casal teve dois filhos. Na delegacia, ela relatou ter sido vítima de violência doméstica ainda quando morava com ele, mas não foi feito nenhum registro. 
A mulher foi liberada e será encaminhada pela Polícia Civil para o Centro de Referência do município a fim de incluí-la no programa de assistência social um dos viés da Lei Maria da Penha.