Chuva causa deslizamento de terra no Pavão-Pavãozinho e deixa famílias desalojadas
Chuva causa deslizamento de terra no Pavão-Pavãozinho e deixa famílias desalojadas Reprodução TV Globo
Por Jenifer Alves
Rio - A forte chuva que atingiu a cidade do Rio de Janeiro, entre a noite de quarta-feira e a madrugada desta quinta-feira, deixou 11 famílias desalojadas na comunidade Pavão-Pavãozinho, na Zona Sul. Os imóveis foram interditados pela Prefeitura do Rio depois de um deslizamento de terra. A maior concentração de chuva foi na Zona Sul. A Avenida Niemeyer, que liga o Leblon até São Conrado, foi fechada.
Ao todo, 13 casas foram interditadas pela Defesa Civil. Moradores afirmam que outras quatro casas também correm risco e foram interditadas. Uma moradora ficou presa na lama que deslizou e precisou ser resgatada. Segundo a Associação de Moradores da Comunidade, ela não se feriu com gravidade. A cozinheira Ana Carolina Mendonça, de 30 anos, uma das vítimas do desabamento conta que conseguiu abrigo com ajuda de outros moradores da comunidade.
Publicidade
"A situação está péssima. Estamos vivos graças a Deus, mas a sensação é de impotência, perder tudo do nada", conta. Carolina morava em um dos imóveis que desabou com as duas filhas e o marido. "Consegui sair com meu marido e minhas filhas e depois tirei minhas cachorras. O pessoal da comunidade me cedeu um abrigo", explica.
Segundo Ana Carolina, depois que o imóvel desabou, ela e o marido precisaram resgatar as crianças de um quarto. "Ouvimos um barulho muito grande e a casa tremeu, gritei minhas filhas, elas me responderam e vi que estavam bem. Logo em seguida desceu tudo pra dentro da minha casa e desabou. Eu comecei a quebrar a porta pra elas saírem e meu marido terminou porque eu perdi as forças. Ele tirou as duas e eu consegui arrombar a porta da saída de casa" conta. 
Publicidade
A capital entrou em estágio de atenção por volta de 23h30.  O Centro de Operações Rio (COR) confirmou que a Defesa Civil foi acionada por volta de 2h20 para um deslizamento de terra no Pavão-Pavãozinho, em Copacabana. O Estágio de Atenção é o terceiro nível em uma escala de cinco e significa que uma ou mais ocorrências já impactam o município, afetando a rotina de parte da população.
Publicidade
Também na Zona Sul, foram acionadas as sirenes das comunidades do Cantagalo, Cabritos, Babilônia, Chapéu Mangueira e Tabajaras. No momento, há nove pontos com acúmulos de água.
De acordo com o Alerta Rio, no momento, núcleos de chuva forte atuam na Zona Sul do Rio de Janeiro. Outros núcleos de chuva se deslocam da Baía de Sepetiba em direção à cidade do Rio. Durante as próximas horas, estes núcleos permanecerão atuando e provocando chuva moderada/forte na Capital e principalmente, na Zona Sul, com tendência de manutenção do cenário atual.
Publicidade
Nas próximas 24 horas a previsão é de chuva fraca a moderada, em pontos isolados, com céu nublado ou parcialmente nublado. De acordo com o Alerta Rio, a chuva dá uma trégua a partir de sábado e o sol volta a aparecer no domingo.
A prefeitura recomenda que a população tome as seguintes ações preventivas:
Publicidade
- Não se desloque pelas regiões mais afetadas pela chuva;
- Evite áreas sujeitas a alagamentos e/ou deslizamentos;
- Não force a passagem de veículos em áreas aparentemente alagadas;
- Em casos de ventos fortes e/ou chuvas com descargas elétricas, evite ficar próximo a árvores ou em áreas descampadas;
- Em pontos de alagamento, evite contato direto com postes ou equipamentos que possam estar energizados;
- Evite o contato com a água de alagamentos. A água pode estar contaminada e oferecer riscos à saúde;
- Verifique se há sinais de rachaduras em sua residência. Ao perceber trincas ou abalo na estrutura, acione a Defesa Civil pelo número 199 e evite ficar em casa;
- Moradores de áreas de risco precisam ficar atentos aos alertas sonoros. O acionamento das sirenes indica perigo de deslizamento. As pessoas devem se deslocar para os pontos de apoio estabelecidos pela Defesa Civil Municipal. Os locais são informados pelo número 199;
- Fique atento às informações divulgadas pelos veículos de comunicação e nas redes sociais do COR;
- Se necessário, use os telefones de emergência 193 (Corpo de Bombeiros) e 199 (Defesa Civil).