Flordelis critica pedido de indenização da família do pastor Anderson do Carmo
Flordelis critica pedido de indenização da família do pastor Anderson do CarmoEstefan Radovicz / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - A deputada Flordelis dos Santos (PSD) criticou, nesta quarta-feira (5), o pedido de indenização realizado pela família do pastor Anderson do Carmo por conta de seu assassinato. Na ação, o pai, a irmã e a tia de Anderson pedem o valor de R$ 800 mil por danos morais. A família solicitou também o bloqueio de bens na 3ª Vara Cível da Região Oceânica de Niterói, no entanto, a juíza Daniela Ferro Affonso Rodrigues Alves negou o pedido. Segue em aberto a decisão sobre o pedido de indenização.
Por meio de nota, assessoria da deputada informou que recebeu pela imprensa a notícia do pedido de indenização realizado pela família do pastor Anderson do Carmo, porém, a parlamentar ainda não foi notificada de nenhum ato. A nota cita que o pedido tem caráter oportunista, que visa apenas o lucro em cima de uma tragédia.

"A deputada expressa sua tristeza de que eventos tão graves que ceifaram a vida do Pastor Anderson e avassalaram a sua família, signifique e se traduza apenas em uma indenização pecuniária, conforme orientado ao pai do Pastor, hoje assessorado por oportunistas que visam obter projeção pública e dinheiro, como demonstrado por essa iniciativa. Está clara a intenção de se obter lucro com uma tragédia, estipulando um valor monetário sobre a vida do pastor", diz um trecho da nota.
Publicidade
Pai do pastor Anderson do Carmo, Jorge de Souza, acompanhado do advogado assistente de acusação Ângelo Máximo  - Estefan Radovicz /Agência O Dia
Pai do pastor Anderson do Carmo, Jorge de Souza, acompanhado do advogado assistente de acusação Ângelo Máximo Estefan Radovicz /Agência O Dia


O pai de Anderson, Jorge Souza, pediu o valor indenizatório de R$ 500 mil, a irmã, Claudia Maria Rodrigues, R$ 200 mil e a tia, Nádia Henrique, R$ 100 mil. O inquérito policial, aceito pelo Ministério Público do Rio (MPRJ), concluído pelo delegado Allan Duarte, aponta a parlamentar como mandante do assassinato. Ela foi indiciada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Nesta terça-feira (4), foi determinado que a deputada federal Flordelis dos Santos irá à júri popular pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, morto em junho de 2019, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Na decisão, assinada pela juíza do 3º Tribunal do Júri de Niterói (RJ), Nearis dos Santos Carvalho Arce, outras nove pessoas indiciadas pelo crime também serão submetidas à decisão dos jurados.
Publicidade
Para a polícia, a morte do pastor Anderson do Carmo não teria como acontecer sem o consentimento de Flordelis. Segundo o delegado, na conclusão do inquérito, "A deputada é uma pessoa extremamente perigosa". Flordelis diz que a filha Simone dos Santos foi quem pagou pela morte do pastor, mas o inquérito policial aponta contradições.