Darah vendia balas na Zona NorteReprodução

Rio - O corpo de Darah Moreira Duarte, de 25 anos, será enterrado neste sábado, às 14h, no Cemitério de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. A ambulante foi espancada até a morte, por conta de uma dívida de R$ 25, na última segunda-feira (30), em Cascadura, na Zona Norte
Darah trabalhava vendendo balas e teria deixado R$ 25 com Gabriele Galdino. Uma sessão de espancamento, filmada e publicada na internet teria começado depois que a vítima cobrou o dinheiro de volta. No vídeo, a ambulante é arrastada com chutes e pontapés na calçada de uma rua. Ela foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Madureira, mas já chegou ao local sem vida.
A família de Darah foi informada que a jovem estaria grávida quando foi agredida, mas a Polícia Civil disse que, de acordo com o laudo do IML, não há sinais macroscópicos de gravidez.
Nesta sexta-feira, a Delegacia de Homicídios da Capital (DH Capital) ouviu Gabriele Galdino, suspeita de ter espancado a vendedora. De acordo com a Polícia Civil, a especializada aguarda o resultado do exame de necropsia para confirmar a causa da morte.
A mulher deixou a delegacia após prestar depoimento. De acordo com G1, os agentes chegaram à casa de Gabriele após informações do Disque Denúncia. Ela não foi presa, já que também não é considerada foragida, por não haver nenhum mandado de prisão expedido. Nesta sexta-feira, a mãe de Darah, Jaqueline Moreira, de 39 anos, gravou um vídeo pedindo justiça pela filha. Jaqueline Moreira, de 39 anos, diz que seu desejo é que a agressora da ambulante seja presa.
"A minha filha era camelô, me deixou três netos. Meu neto está chorando pela minha filha. Por que essa garota fez isso? Eu quero justiça[...], ela tirou a minha filha, ela tirou meu coração", disse a mulher, em um vídeo enviado ao DIA.