Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Maricá: Prefeitura implanta escala de rodízio para evitar avanço da Ômicron

Trabalho nos setores públicos voltou a ser realizado presencialmente com até 50% dos funcionários de cada órgão nesta sexta-feira (07/01)

Maricá fica na Região Metropolitana do RioMaricá Drone

Rio - A Prefeitura de Maricá retornou nesta sexta-feira (07) com a escala de rodízio nos setores públicos para evitar o avanço da nova variante Ômicron, que circula no estado do Rio de Janeiro. A medida, publicada por meio do decreto municipal, tem validade de 30 dias.
O trabalho de forma presencial passa a ser feito com, no máximo, 50% dos funcionários de cada órgão. Os atendimentos da população nas repartições públicas serão feitos com hora marcada, agendados por telefone ou pela internet. O restante de cada equipe trabalhará de forma remota, à distância.
Maricá ainda não tem caso confirmado da nova variante Ômicron, mas já registra alta procura de atendimentos por suspeitas de covid-19. Os polos de atendimento localizados no Centro e Inoã, que são a porta de entrada para esses casos, tiveram um crescimento significativo da demanda. Na segunda-feira (02) foram atendidas 110 pessoas. Já na última quinta-feira (06) foram 271 atendimentos, um aumento de 320%.
Setores sem ar condicionado
Nos setores públicos, os aparelhos de ar condicionado não serão utilizados para garantir a circulação do ar. Nesses locais é imprescindível o uso constante de máscaras de proteção (cobrindo nariz e boca), a higienização das mãos com álcool gel e o distanciamento mínimo de 1,5 m.
Teste da Covid-19
O decreto também estabelece que o funcionário público ficará afastado das suas atividades por sete dias corridos, caso seja diagnosticado com Covid-19. Ao fim do período, ele deverá fazer novo teste antes de retornar ao trabalho.
Em caso de sintomas da covid-19, como cansaço, dores pelo corpo, cabeça e garganta, o cidadão deve procurar um dos polos exclusivos para atendimentos no Centro e em Inoã, que funciona diariamente das 8h às 20h, além da Unidade de Saúde da Família de referência.
Todas as 24 USF estão preparadas para prestar a assistência em caso de sintomas e possuem testes rápidos para diagnóstico da Covid-19, que necessitam de três dias com sintomas para serem feitos.
Além da redução de funcionários em setores públicos, a Prefeitura mantém a vacinação contra Covid-19 da população acima de 12 anos. Mais de 127 mil pessoas, ou seja, 90% do público vacinável está imunizado. O município também avança na aplicação da dose de reforço em maiores de 18 anos que tenham recebido a segunda dose ou dose única há pelo menos quatro meses, com mais de 35 mil pessoas imunizadas.
“O alto percentual de vacinação está garantindo mais proteção contra os casos graves. E estudos indicam que a dose de reforço protege ainda mais contra o vírus, por isso é fundamental que quem esteja dentro do prazo receba a dose complementar para ficar ainda mais seguro”, destacou a secretária de Saúde, Solange Oliveira.
Você pode gostar
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor.

mais notícias
Maricá: Prefeitura implanta escala de rodízio para evitar avanço da Ômicron | Rio de Janeiro | O Dia
Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos

Maricá: Prefeitura implanta escala de rodízio para evitar avanço da Ômicron

Trabalho nos setores públicos voltou a ser realizado presencialmente com até 50% dos funcionários de cada órgão nesta sexta-feira (07/01)

Maricá fica na Região Metropolitana do RioMaricá Drone

Rio - A Prefeitura de Maricá retornou nesta sexta-feira (07) com a escala de rodízio nos setores públicos para evitar o avanço da nova variante Ômicron, que circula no estado do Rio de Janeiro. A medida, publicada por meio do decreto municipal, tem validade de 30 dias.
O trabalho de forma presencial passa a ser feito com, no máximo, 50% dos funcionários de cada órgão. Os atendimentos da população nas repartições públicas serão feitos com hora marcada, agendados por telefone ou pela internet. O restante de cada equipe trabalhará de forma remota, à distância.
Maricá ainda não tem caso confirmado da nova variante Ômicron, mas já registra alta procura de atendimentos por suspeitas de covid-19. Os polos de atendimento localizados no Centro e Inoã, que são a porta de entrada para esses casos, tiveram um crescimento significativo da demanda. Na segunda-feira (02) foram atendidas 110 pessoas. Já na última quinta-feira (06) foram 271 atendimentos, um aumento de 320%.
Setores sem ar condicionado
Nos setores públicos, os aparelhos de ar condicionado não serão utilizados para garantir a circulação do ar. Nesses locais é imprescindível o uso constante de máscaras de proteção (cobrindo nariz e boca), a higienização das mãos com álcool gel e o distanciamento mínimo de 1,5 m.
Teste da Covid-19
O decreto também estabelece que o funcionário público ficará afastado das suas atividades por sete dias corridos, caso seja diagnosticado com Covid-19. Ao fim do período, ele deverá fazer novo teste antes de retornar ao trabalho.
Em caso de sintomas da covid-19, como cansaço, dores pelo corpo, cabeça e garganta, o cidadão deve procurar um dos polos exclusivos para atendimentos no Centro e em Inoã, que funciona diariamente das 8h às 20h, além da Unidade de Saúde da Família de referência.
Todas as 24 USF estão preparadas para prestar a assistência em caso de sintomas e possuem testes rápidos para diagnóstico da Covid-19, que necessitam de três dias com sintomas para serem feitos.
Além da redução de funcionários em setores públicos, a Prefeitura mantém a vacinação contra Covid-19 da população acima de 12 anos. Mais de 127 mil pessoas, ou seja, 90% do público vacinável está imunizado. O município também avança na aplicação da dose de reforço em maiores de 18 anos que tenham recebido a segunda dose ou dose única há pelo menos quatro meses, com mais de 35 mil pessoas imunizadas.
“O alto percentual de vacinação está garantindo mais proteção contra os casos graves. E estudos indicam que a dose de reforço protege ainda mais contra o vírus, por isso é fundamental que quem esteja dentro do prazo receba a dose complementar para ficar ainda mais seguro”, destacou a secretária de Saúde, Solange Oliveira.
Você pode gostar
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor.

mais notícias