Estudantes visitam a exposição no Instituto Pretos NovosDivulgação

Para celebrar os 26 anos de descoberta do sítio arqueológico do Cemitério dos Pretos Novos, o Museu Memorial Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN), dá início ao seu ciclo de circuitos históricos guiados a partir de amanhã. Para se inscrever basta acessar o site oficial do Museu através do link: https://pretosnovos.com.br/educativo/circuito-de-heranca-africana/. A iniciativa conta com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que selecionou este projeto através de edital público.
A programação especial por conta da data segue gratuita até o mês de abril e voltada para reverenciar a memória dos milhares de escravizados recém-chegados ao Brasil que tiveram seus corpos ali depositados antes mesmo de serem vendidos no 'mercado de escravos', situado na Região Portuária, em meados do século XVIII.
O Circuito Histórico é realizado por guias turísticos com certificação oficial no Cadastur, capacitados pelo Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos, seguindo pelo trajeto que possui cerca de dois quilômetros e é percorrido, aproximadamente, em duas horas por grupos de até 20 pessoas contando a história da Zona Portuária do Rio de Janeiro, na perspectiva social e cultural de africanos, indígenas e seus descendentes no Brasil.
De acordo com a fundadora do Instituto, Merced Guimarães dos Anjos, ao longo do mês de janeiro o IPN oferecerá capacitação para guias de turismo interessados em aprender todos os detalhes sobre o circuito. Os interessados em participar precisam efetuar a inscrição no próprio site do órgão.
''A procura tem sido tão grande que a primeira turma já está lotada e precisaremos abrir inscrições, no mês de fevereiro, para uma nova turma em março. Com isso percebemos que existe uma demanda contida muito grande para os assuntos relacionados ao Circuito Histórico de Herança Africana. As inscrições de todas as nossas atividades educativas se esgotam rapidamente, sobretudo para os educadores e profissionais do turismo”, disse.