fotos da agenda de formalização da entrega da concessão de quiosque para a família de Moïse Kabagambe. Alexandre Macieira/Prefeitura do Rio

Rio - Após desistirem da concessão do Tropicália e Biruta, na Praia da Barra da Tijuca, familiares de Moïse Kabagambe ainda podem assumir um quiosque no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, no Parque de Madureira, na Zona Norte, ou no Cais do Valongo, no Zona Portuária. A informação foi confirmada neste sábado (12) pela prefeitura, que afirmou estar em contato com parentes do congolês para discutir a melhor solução para eles.

A família desistiu da concessão dos quiosques, que ficam no mesmo local onde Moïse foi espancado até a morte, no último dia 24, por medo. Na próxima segunda-feira (14), a familiares devem se reunir com a prefeitura e a Orla Rio para discutir o local onde será prestada a homenagem à vítima. No encontro, a expectativa é de que eles entrem em um acordo para assumir outros quiosques em locais diferentes.
Ainda de acordo com a prefeitura, os detalhes estão sendo discutidos em conjunto com a Orla Rio, concessionária que administra os quiosques. "Não vemos impedimento para que assumam um outro quiosque, se assim desejarem, podendo ser no Recreio, Parque Madureira ou até mesmo no Cais do Valongo", afirmou a prefeitura, em nota.