Mais Lidas

Leão da Serra se prepara para disputar a segunda divisão e retornar à elite

Fundado em 1915, em Petrópolis, o Serrano Football Club teve até Garrincha em seu quadro

Por luana.benedito

Rio - As cores oficiais são azul e branca. E o sentimento que desperta é de paixão. Porém, não falamos da Portela, a tradicional escola de samba carioca. Mas, sim, do Serrano Football Club, de Petrópolis. Com mais de 100 anos de atividades, o Leão da Serra, como é carinhosamente chamado na Cidade Imperial, volta agora em 2017 à Série B do Campeonato Carioca.

Afastado da segundona desde 2008, o Serrano retorna depois de conquistar o vice-campeonato da Série C — o campeão foi o São Gonçalo. Sob o comando do técnico Marcelo Olimpio, o Bira, o clube vai estrear nos gramados em maio, quando disputará o título com times como América, Olaria e São Cristóvão, entre outros. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro ainda não definiu o calendário dos jogos.

Jogadores do atual elenco ouvem o técnico Bira. Abaixo%2C a equipe em 1981%2C com o goleiro Acácio%2C na primeira divisão do CariocaDivulgação

Com um elenco com média de idade de 22 anos, o Serrano tem folha de pagamentos modesta. Segundo Alex Monken Arruda, diretor de futebol, são cerca de R$ 100 mil por mês para disputar a Série B e a Copa Rio. “Vamos buscar a vaga na Série D do Brasileiro via Copa Rio”, vislumbra Arruda.

Revelado nas categorias de base, o diretor de futebol aposta na força do conjunto e na experiência de dois jogadores do atual elenco. É o caso de Marcelo Macedo, artilheiro do Carioca 2007 pelo Madureira e com passagens pelo Flamengo e Fluminense, e de Roberto Lopes, ex-volante do Vasco e CRB, entre outros. “São atletas renomados, já jogaram em 2016”, destaca Arruda.

Para ele, o retorno do Leão da Serra à Série B é o pontapé inicial para novas conquistas. Entre elas, a tão sonhada vaga na Série D do Campeonato Brasileiro. “Sabemos das dificuldades, mas toda equipe de alto rendimento quer títulos. E queremos Serie A do Carioca”, planeja.

O retorno à Série A do Campeonato Estadual, aliás, dará fim a um hiato de mais de trinta anos. Afinal, o Serrano esteve na elite do futebol carioca em 1979, 1980 e 1981. E fez história. Em 1980, complicou a vida do Flamengo de Zico e companhia. Numa noite chuvosa no Estádio Atílio Marotti, em Petrópolis, venceu por 1 a 0, com gol do ponta-esquerda Elimar Cerqueira, o Anapolina, acabando com o sonho do rubro negro de conquistar o tetracampeonato.

Os primeiros dribles do Mané

O Serrano Football Club nasceu no dia 29 de junho de 1915 por um grupo de dirigentes do Terra Santa Futebol Clube. Já o Estádio Atílio Marotti, no Quarteirão Ingelheim, foi fundado em 7 de julho de 1951. Com capacidade para seis mil torcedores, já abrigou quase 15 mil pessoas durante o jogo entre Serrano e Flamengo, em 1980, quando os donos da casa ganharam de 1 a 0.

Nos gramados, o Leão da Serra fez história, com nomes que se consagraram. Um deles, o goleiro Acácio, que depois foi para o Vasco e chegou à Seleção Brasileira. Além dele, Garrincha também passou pelo clube. Um cartão de identificação do jogador, de 17 de abril de 1951, é considerado o primeiro documento do Mané e foi encontrado na sala de troféus. “Só não se tem o número de jogos em que ele atuou”, conta Alex Monken Arruda

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia