Operação Policial na Favela do Jacarezinho Zona Norte do Rio , Três homens morreram na troca de tiros com policiais, os mortos segundo a policia eram traficantes.Três pistolas apreendidas e trilhos usados por traficantes como barricadas foram retirados e levados para a Cidade da Policia. Foto -  Severino Silva / Agência O Dia - Severino Silva / Agência O Dia
Operação Policial na Favela do Jacarezinho Zona Norte do Rio , Três homens morreram na troca de tiros com policiais, os mortos segundo a policia eram traficantes.Três pistolas apreendidas e trilhos usados por traficantes como barricadas foram retirados e levados para a Cidade da Policia. Foto - Severino Silva / Agência O DiaSeverino Silva / Agência O Dia
Por O Dia
Publicado 30/01/2018 07:36 | Atualizado há 3 anos

Rio - Policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DH) e da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) realizam, nesta terça-feira, uma operação no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. Pelo menos 300 agentes atuaram na comunidade desde o início da manhã. Por meio das redes sociais, os moradores relataram intenso tiroteio na favela. Treze suspeitos foram presos e três morreram em confronto. De acordo com a polícia, as vítimas foram socorridas e encaminhadas ao hospital, mas não resistiram aos ferimentos. Três pistolas e drogas foram apreendidos. 

Entre os detidos estão: Ewerton da Silva Barbosa, Igor Gomes e Marcos Duarte de Souza, que foram presos em flagrante pelo crime de roubo; Anderson Luís da Silva, que foi preso em flagrante por tráfico de drogas;  Fabrício Rogério da Silva e Wendel Lopes da Silva, em cumprimento a mandado de prisão; Elvis Souza Carneiro, que foi preso por associação ao tráfico de drogas; e Cleyton Santos de Souza, Fabiano Alves de Lima e Vanessa Gomes da Silva.

Os agentes cumpriram mandados de prisão contra suspeitos de participar da morte do delegado Fábio Monteiro e do policial civil Bruno Guimarães Buhler, conhecido como Bruno Xingu. O corpo do delegado foi encontrado dentro de um carro, no Jacarezinho, no início deste mês. Já Xingu morreu ao ser baleado em operação na comunidade, em agosto. Ele era lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).

Por volta das 6h30, os policiais entraram na favela sob fogos de artifícios, que normalmente são usados por criminosos para avisar sobre a chegada da polícia. Houve troca de tiros no local. "Cuidado, muito tiroteio no Jacarezinho", alertou um morador em rede social. "Sempre com o mesmo problema. Não aguento mais esses confrontos", lamentou outro.

Você pode gostar
Comentários