Por O Dia

Rio - Você sabia que o Papa Francisco lançou uma Exortação Apostólica esta semana sobre os desafios de ser santo no mundo atual? Sim, todos nós somos chamados a santidade! Mas o que eu quero destacar é a parte em que o Santo Padre escreve sobre a importância da alegria e do senso de humor para uma vida santa.

Vale a reflexão do quanto reclamamos de nossos problemas e deixamos a insatisfação e o mau humor dominarem nossas relações, nos afastando do outro e de Deus.

Normalmente observa o Papa a alegria cristã é acompanhada por um senso de humor bem evidente. O Senhor nos dá tantas coisas para que possamos delas desfrutar, às vezes a tristeza e o mau humor estão ligados à ingratidão, estando de tal forma fechado em si, que nos tornamos incapazes de reconhecer os dons de Deus.

É claro que existem tempos difíceis, mas nada pode destruir a alegria sobrenatural que se adapta, se transforma e sempre permanece da certeza pessoal de ser infinitamente amado por Deus. É uma segurança interior, serenidade cheia de esperança que oferece uma satisfação espiritual incompreensível segundo os critérios do mundo.

Deus nos quer positivos, não complicados. Em todas as situações é necessário manter um espírito flexível e fazer como São Paulo: "Aprendi a contentar-me com o que tenho." (Filipenses 4,11). É o que viveu São Francisco de Assis, capaz de comover-se de gratidão diante de um pedaço de pão duro, ou louvando a Deus, feliz, apenas pela brisa que acariciava o seu rosto.

Neste documento o Papa não fala da alegria consumista e individualista, tão presente em algumas das experiências culturais de hoje. De fato, o consumismo torna pesado o coração; pode oferecer prazeres ocasionais e passageiros, mas não alegria. Em vez disso, ele se refere àquela alegria que é vivida em comunhão, que é compartilhada e participada, porque há maior felicidade em dar do que em receber!

O amor fraterno multiplica nossa capacidade de alegria, pois nos torna capazes de nos alegrarmos com o bem dos outros. Nesta nova semana que está começando vamos pedir a Deus a graça da alegria e do senso de humor. Ele nos faz ver o propósito da vida e encarar as coisas com um espírito de alma redimida. É um comportamento humano, mas é o mais próximo à graça de Deus.

Padre Omar: é o Reitor do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado. Faça perguntas ao Padre Omar pel  e-mail [email protected] Acesse também www.padreomar.com e www. facebook.com/padreomarraposo

Você pode gostar
Comentários