Estado do Rio vai promover cerca de mil professores

Secretário de Educação, Pedro Fernandes assina nesta sexta-feira autorização para os enquadramentos por formação dos profissionais

Por PALOMA SAVEDRA

Secretário de Educação, Pedro Fernandes garante que há folga orçamentária para viabilizar a medida
Secretário de Educação, Pedro Fernandes garante que há folga orçamentária para viabilizar a medida -
Cerca de mil professores da rede estadual de Educação vão receber promoção pela qualificação acadêmica, como cursos de mestrado e doutorado. A autorização para os enquadramentos por formação será assinada hoje pelo secretário da pasta, Pedro Fernandes. À Coluna, o secretário confirmou, com exclusividade, que as gratificações sairão em breve, e que economia de despesas na secretaria vai garantir os recursos financeiros necessários para a medida.
“Os enquadramentos já estão alinhados com a Procuradoria Geral do Estado. Vou assinar o documento (de autorização) nesta sexta-feira e enviá-lo no mesmo dia à PGE”, disse Fernandes. O titular da pasta declarou que o próximo passo será o pagamento do quinquênio — adicional por tempo de serviço — aos educadores que aguardam o benefício. “Faremos esse anúncio nos próximos dias”, adiantou.
O secretário ainda não crava em qual folha salarial os enquadramentos vão sair. Mas tudo indica que os aumentos nos salários virão nos vencimentos de junho — quitados em julho.
Questionado sobre o impacto financeiro que será gerado com as incorporações das gratificações (nos salários dos profissionais), Fernandes assegurou que isso está dentro do orçamento previsto pela pasta. "Não haverá aumento de gastos orçamentários”, disse.
GLP deu folga financeira
Segundo o secretário, o que permitiu a folga financeira foi a estratégia de pagar horas extras para concursados em vez de contratar educadores por fora. “Só com a GLP (Gratificação por Lotação Prioritária), temos um terço de economia”, afirmou o secretário.
Fernandes lembrou que parte dessas GLPs são para cobrir profissionais que se aposentaram recentemente. E como a pasta não banca essas aposentadorias — que são de responsabilidade do Rioprevidência —, há mais economia ainda em folha.

Comentários