Diretor da ANP fala sobre retomada de vagas no setor de petróleo e gás

O evento acontece nesta quarta-feira, como parte da programação do 49º Congresso Brasileiro de Geologia

Por O Dia

Solenidade de abertura do 49º Congresso Brasileiro de Geologia teve participação do diretor-geral da ANP, Décio Odonne
Solenidade de abertura do 49º Congresso Brasileiro de Geologia teve participação do diretor-geral da ANP, Décio Odonne -

Nesta quarta-feira, no segundo dia de atividades do 49º Congresso Brasileiro de Geologia, o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Décio Odonne, dá palestra com o tema "A Retomada do Setor de Óleo e Gás no Brasil e nos Estados Produtores". No evento, às 17h, Décio Odonne falará sobre investimentos e boas perspectivas de vagas de emprego no setor. 

Décio Odonne participou da solenidade de abertura do congresso, que acontece até sexta-feira, no Centro de Convenções SulAmérica, no Centro do Rio. Na ocasião, o diretor-geral da ANP comentou que a retomada da indústria de petróleo e gás se reflete em projeções positivas para geólogos no mercado de trabalho.

"Estamos começando um processo de oferta permanente, com isso não vai haver mais necessidade de leilão. As áreas todas terrestres e marítimas que já foram ofertadas no passado vão estar disponíveis. Isso significa espaço para estudo e trabalho para os geólogos nos próximos anos. A gente espera que isso realmente aconteça", disse Odonne, na terça-feira. 

O diretor-geral da ANP lembrou que a retomada do setor de óleo e gás é marcada pelo sucesso nos novos leilões de áreas do pré-sal, reiniciados ano passado.

“Essa retomada está vindo, falta vir claramente nos empregos, na atividade, mas os primeiros sinais já começam a acontecer e ela (a retomada) está garantida. E basicamente no pré-sal. Temos um trabalho muito grande a fazer no Brasil para que possamos conhecer efetivamente nosso potencial e explorar o petróleo que nós temos antes que a idade do petróleo acabe”, afirmou.

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Já nesta quinta-feira, dia 23, às 17h, na mesa “Defesa das Instituições Públicas de Geologia e da Ciência Brasileira”, o foco será o atual estágio de financiamento e apoio à Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Brasil, com destaque para os reflexos sobre a formação de recursos humanos e a retenção de talentos. Os recentes cortes de recursos para Capes e CNPq serão o destaque da pauta.

Entre os participantes convidados estão o presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa da Ciência (SBPC), Ildeu Moreira; os diretores do Serviço Geológico do Brasil e do Museu Nacional, José Andriotti e Alexander Kellner, e Artur Obino, diretor técnico do Clube de Engenharia, com a mediação de Fábio Machado, diretor da Sociedade Brasileira de Geologia (SBG).

DESASTRE EM MARIANA: ESTUDO DE CASO

Na mesa redonda “Geologia, Mineração e os Recentes Desastres Ambientais”, nesta sexta-feira, dia 24, às 17h, a SBG trará à discussão os recentes desastres ambientais, decorrentes da atividade mineral, em especial aquelas ocorridas em Minas Gerais (Mariana, em novembro de 2015 e Santo Antônio do Grama, março de 2018) e no Pará (Barcarena, em fevereiro de 2018). 

Haverá apresentações já confirmadas, entre outros, de Rinaldo Mancin, diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram); Victor Bicca, diretor-geral da Agência Nacional de Mineração (ANM/DNPM); Andressa Lanchotti, promotora do Ministério Público de Minas Gerais, Andrea Azevedo, diretora da Fundação Renova e Ricardo Camargo, auditor que dá suporte ao MPF e MPE na avaliação e monitoramento dos programas da Fundação Renova. A mediação será do editor da Revista Brasil Mineral, Francisco Evando Alves.

Últimas de Empregos e Negócios