Fotografia documental busca espaço antes ocupado por registros mais tradicionais

Em alta, modalidade se torna alternativa a cliques formais de nascimento de bebês e casamentos. Segmento aposta em registros do cotidiano

Por RENAN SCHUINDT

Foto de Letícia Maia, citada na reportagem, ilustra o tipo de conceito sustentado pelos profissionais que se especializam nesse tipo de registro
Foto de Letícia Maia, citada na reportagem, ilustra o tipo de conceito sustentado pelos profissionais que se especializam nesse tipo de registro -

Rio - Farmacêutica de formação, Letícia Maia trabalhou por seis anos na área. Mas nunca se sentiu realizada com a profissão. Quando o primeiro filho nasceu, sentiu que era hora de uma mudança na carreira. Mas não sabia por onde começar. Foi quando a família ganhou um ensaio fotográfico em um sorteio. E, a partir daí, nasceu a paixão pela fotografia documental. Hoje, Letícia faz parte de um universo em expansão de profissionais desse ramo que ganham a vida registrando os momentos marcantes das pessoas. Datas comemorativas e festas de família ajudam a impulsionar o setor. Movimentam cerca de R$ 17,2 bilhões por ano no país, segundo dados da Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta).

Esse estilo de fotografia documental, que dá um novo tom aos álbuns de família, também ajuda a renovar um segmento carente de inovações. Em vez dos tradicionais ensaios dirigidos, esses profissionais passaram a adotar outro tipo de técnica para fisgar o mesmo público com um outro tipo de serviço. Todos os registros são feitos durante as tarefas, brincadeiras ou até mesmo no momento de cuidar dos pequenos. A ideia é que o profissional não interfira nos processos. O nascimento dos bebês e os casamentos estão entre os serviços fotográficos mais procurados. "A resistência ainda é grande. Quando chego na casa de um cliente, é claro que todos ficam inibidos. Mas ao longo do dia, todo mundo se solta", revela a jovem, que se inspirou em um fotógrafo paulista, com quem fez um curso.

Letícia Maia fotografa crianças na praia - Letícia Maia/Divulgação

PARA CAPTURAR O MOMENTO

Já a bancária e fotógrafa Aline Dantas concilia a profissão com sua grande paixão e ainda garante uma renda extra no fim do mês. Com o sucesso na procura por seus serviços, ela buscou formação em uma escola especializada e tem apostado cada vez mais na carreira. "Este é um segmento da fotografia que vem crescendo. Eu me identifico com esse estilo mais livre e natural".

Aline Dantas concilia os dois trabalhos - Reprodução Instagram/Aline Dantas

Com o desejo de montar um álbum que fugisse do tradicional, a cliente Marcela Brazão apostou nesse tipo de serviço. "Toda a nossa família ficou encantada com o resultado. Está tudo registrado. Desde a hora de cozinhar até o momento das travessuras. É como se as emoções daquele momento fossem congeladas".

Fotógrafa Aline Dantas divulga o seu trabalho em perfil do Instagram - Reprodução Instagram/Aline Dantas

Galeria de Fotos

Foto de Letícia Maia, citada na reportagem, ilustra o tipo de conceito sustentado pelos profissionais que se especializam nesse tipo de registro Letícia Maia/Divulgação
Letícia Maia fotografa crianças na praia Letícia Maia/Divulgação
Aline Dantas concilia os dois trabalhos Reprodução Instagram/Aline Dantas
Pintura Reprodução Instagran / Aline Dantas

Comentários

Últimas de Empregos e Negócios