Propostas de presidenciáveis para Gestão são discutidas em debate do DIA e CFA

Redução de ministérios, combate à corrupção, reforma do Poder Judiciário, planejamento a longo prazo e uso da tecnologia foram alguns dos assuntos abordados no debate, que contou com a administradora Mara Biasi e o professor da Uerj Mauro Osório

Por O Dia

Último debate promovido pelo DIA e CFA discutiu o tema Gestão proposto por presidenciáveis
Último debate promovido pelo DIA e CFA discutiu o tema Gestão proposto por presidenciáveis -

Rio - O quarto e último debate do DIA em parceria com o Conselho Federal de Administração (CFA), ocorrido nesta terça-feira, discutiu pautas propostas pelos cinco presidenciáveis mais bem colocados dentro do tema Gestão. A administradora Mara Biasi e o professor da Uerj Mauro Osório participaram do debate, com mediação do jornalista do DIA Paulo Capelli.

No primeiro bloco foi debatido temas como redução de ministérios, reorganização da área econômica, reforma do poder judiciário e democratização da mídia, retirando alguns monopólios de empresas. Os assuntos estão presentes em programas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Mara Biasi começou sua fala ressaltando o que é gestão e que ela está presente em todo governo. “A gestão percorre todos os itens do programa, em como será o funcionamento do governo, a colocação de nomes representativos nas funções prioritárias”, disse. “O impacto positivo e negativo vai depender da estratégia das políticas”, disse Mauro Osório.

“Alguns gastos, como os do judiciário, são incompatíveis, mas têm que saber o que é direito e o que são privilégios”, disse Mara sobre uma possível reforma judiciária. “Esses privilégios têm que ser combatidos, preciso ter coragem para ser enfrentada”. Ressaltou como o exemplo no Rio de Janeiro, que esses privilégios são percebidos. Existe uma divisão de gastos desigual, enquanto umas gastam muito sem necessidade, outras gastam menos mas tem mais despesas.

No bloco seguinte foram debatidas propostas dos candidatos Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede). Entre as pautas estavam o planejamento de desenvolvimento do país a longo prazo, de 20 anos, sendo atualizado a cada quatro anos. Os debatedores foram unânimes ao destacar que a maior dificuldade deste plano são as mudanças de governo, com ideologias diferentes.

Foi destacada a importância da qualificação do setor público. “É preciso criar uma cultura de planejamento nos governos, não sou a favor de contratar consultorias. O setor público precisa se estruturar para ter uma política de planejamento”, disse Mauro. Mara destacou que é necessária a profissionalização do setor público. “Não precisamos de consultoria para tudo, precisamos de técnicos qualificados”, disse.

Outra proposta debatida foi o uso de tecnologias para transformar o governo em “digital” e auxiliar no combate à corrupção. “A transparência é fundamental, quanto mais simples as regras, mais transparente será. A ideia de transparência e usar a tecnologia é uma ideia adequada”, falou Mauro. “Não se pode abrir mão do que está disponível, temos que usar mais e a nosso favor”, reforçou Mara.

O terceiro bloco apontou alguns pontos do tema Gestão que estão no programa de Geraldo Alckmin (PSDB), como a transformação do Brasil em um país mais atrativo para empreendedores e empresas, principalmente da América Latina, e a descentralização do poder, dando mais autonomia aos municípios.

A administradora Mara disse que o país tem que ser mais atrativo sim, mas não somente para a América Latina. “As parcerias privadas tem o seu papel e precisam ser avaliadas como um dos mecanismos para o seu desenvolvimento”, disse.

“O que não for estratégico, pode-se discutir se privatiza ou não, mas não resolvemos dívida pública com privatização”, falou Mauro Osório, exemplificando que várias privatizações foram realizadas no governo FHC e a dívida só aumentou.

" target="_blank" rel="noopener noreferrer">

Quanto à descentralização, os debatedores reforçaram que ela já é prevista na constituição e desde então é aplicada, mas que é importante ter investimentos por parte do Governo Federal, além de uma boa gestão dos recursos financeiros, humanos e materiais. Foram respondidas também neste e no quarto bloco perguntas de leitores que acompanham em tempo real nas redes sociais do DIA e do CFA o debate.

Os outros debates

 

Nesta segunda-feira, o tema foi geração de empregos e foram abordados assuntos como investimento em infraestrutura, inovação e tecnologia, redução da máquina estatal, Reforma Trabalhista, políticas públicas e estímulo ao empreendedorismo, assim como a viabilidade econômica das metas dos cinco candidatos melhores colocados nas pesquisas de intenção de voto — Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Ciro Gomes, Marina Silva e Geraldo Alckmin.

O tema do primeiro debate foi Segurança Pública; assista aos vídeos. Já o segundo foi sobre as propostas dos presidenciáveis no Combate à Corrupção; confira. Todos os painéis são transmitidos ao vivo pelas redes sociais do jornal e do CFA.