Mackenzie Dern faz sucesso com suas fotos nas redes sociais
 - Reprodução Instagram
Mackenzie Dern faz sucesso com suas fotos nas redes sociais Reprodução Instagram
Por Jessyca Damaso
Las Vegas - Mackenzie Dern está mesmo disposta a eternizar seu nome como uma das lendas do UFC. Após se tornar a primeira mulher a finalizar uma luta com chave de joelho contra Hannah Cifers, em maio deste ano, a americana naturalizada brasileira segue a caminhada para a tão sonhada disputa de cinturão do peso palha. Em entrevista exclusiva ao DIA, a multicampeã mundial de jiu-jítsu revelou que planeja um golpe inédito neste sábado, quando enfrentará Virna Jandiroba no UFC 256, em Las Vegas.

"Tenho treinado algo especial, não sei se vai acontecer, porque ela é uma jiujiteira, mas é um golpe que eu acredito que não é tão comum na modalidade. Tenho planejado e treinado umas coisas um pouco diferentes que, com certeza, se eu conseguir nunca teve no UFC feminino. Faltam só mais umas semanas para acabar o ano e eu tenho duas finalizações que podem ser consideradas as melhores de 2020. Quero ter mais uma chance de entrar nessa corrida que estou tentando ganhar esse ano", contou Mackenzie, que preferiu fazer mistério sobre o nome do golpe.

A atleta é dona de um cartel composto por nove vitórias e apenas uma derrota e é considerada a lutadora mais midiáticas do UFC na atualidade. Mackenzie acredita que se vencer a brasileira Virna, vai ficar mais perto dos seus objetivos e ligar o alerta das suas futuras desafiantes na divisão.

"Queria uma coisa que me colocasse mais perto ainda do cinturão. Tenho certeza de que se eu tiver uma boa performance, com uma finalização rápida, linda ou até um nocaute, pode mudar muita coisa no ranking, principalmente o jeito que a galera vai olhar para mim na categoria. Acho que isso só vai dar mais receio para as meninas lutarem comigo e pensarem bem antes de escolher a luta", projetou a décima primeira colocada do ranking.

Preparação

Esse duelo coloca frente a frente duas especialistas em jiu-jitsu. Recentemente, Virna disse que contou com a ajuda da lutadora Michele Oliveira, velha conhecida de Mackenzie, da equipe Nova União. A filha de Wellington "Megaton" Dias, um altamente premiado lutador de jiu-jitsu, exaltou a adversária e afirmou que ambas estão preparadas para a "guerra"

"Já treinei com Michele algumas vezes lá no Rio e sei que ela é muito dura e gente boa. Tenho certeza que a Virna fez o melhor camping da vida dela. Ela está cada vez mais profissional, está conseguindo fazer as coisas de um jeito perfeito. Então, sei que ela vai vir preparada para lutar no chão e na trocação. Fiz meu camping inteiro com meu novo coaching de trocação, trabalhei muito meu boxe e fiz muito sparring. Estamos preparadas para a guerra, para sair na porrada tanto em pé quanto no chão. Vim de uma gravidez e essa é a minha terceira luta após minha filha nascer e hoje posso dizer que meu chão está voltando a ser de quando lutava nos campeonatos de jiu-jítsu. Estava sentindo falta do meu raciocínio, das minhas técnicas, do meu tempo. Treinei um tempo com o André Galvão e Angélica Galvão, tenho o meu pai que me mata todo dia no treino, mas não é nada diferente do que passei a minha vida inteira. Essa foi a razão de ter conquistado tanta coisa na modalidade", disse a esposa do surfista brasileiro Wesley Santos.

Antes e depois da maternidade

Aos 27 anos, Mackenzie atribui seu amadurecimento ao nascimento da filha Moa, de 1 ano e 6 meses, e garante estar em melhor forma do que no período antes da gravidez:

"Agora me sinto mais profissional do que quando entrei no UFC. A galera pode ver que estou sem problemas de peso. O treino tá duro, mas não estou sofrendo, estou curtindo de estar treinando forte. Estou viciada nesse meu objetivo de ser campeã, de ser diferenciada, de ser uma lenda. Não quero ser só mais uma para estar tomando na cara e a galera esquecer de todo o trabalho que a gente fez assim quando eu parar de lutar. Acho que consegui esse profissionalismo por agora ser mamãe, por ser uma mulher mais madura e por saber que tenho que ser uma inspiração para ela. Estou muito mais focada, levando realmente isso tudo muito a sério".

A lutadora começou no jiu-jítsu bem pequena, aos 3 anos. Segundo ela, a filha já demonstra entusiasmo pelo mundo das artes marciais.

"A Moa vai na academia direto comigo e eu vejo que ela está bem envolvida com a trocação. Ela pega as minhas luvas para ficar batendo no saco e eu tenho que ficar enganando ela para me devolver e eu conseguir treinar. Isso é legal, engraçado, mas queria que ela fosse mais do jiu-jítsu, porque foi onde comecei. Estou louca para ela começar a ter esse interesse de estar rolando no chão, de colocar quimono, essas coisas. Se ela quiser ir para o boxe, vou apoiar, mas estou lutando tanto para ela não precisar tomar soco na cara. Acho que vai ser difícil ver minha filha tomar soco na cara. Agora entendo o que os meus pais passam me assistindo. Mas lógico, se esse for o sonho dela, vou sempre apoiá-la. Ela é bravinha", contou Mackenzie aos risos.

Expectativa para o futuro

Por conta da Covid-19, Mackenzie Dern fez questão de entrar no octógono mais uma vez este ano. "Não sabemos o que vai acontecer. Fiquei com bastante medo das coisas fecharem novamente em 2021, mas to na esperança de que tudo vai melhorar. A ideia é lutar pelo cinturão no final do ano que vem, mas sei que tem muitas pessoas correndo atrás disso. Vou focar muito para fazer uma boa performance e tentar ir atrás dos meus sonhos. Quero ajudar meu marido a focar na carreira dele, tirar umas duas semaninhas de férias e ver o que nos aguarda em 2021".