Ronaldo Fenômeno falou pela primeira vez desde a compra da SAF do CruzeiroGustavo Aleixo/Cruzeiro

Depois da empolgação pela compra de 90% da SAF do Cruzeiro com investimento de R$ 400 milhões, Ronaldo já viveu a primeira crise com a torcida por causa da não renovação com o ídolo Fábio. Mas o desafio maior continua sendo equacionar as contas. Em sua primeira coletiva como gestor do futebol do clube Mineiro, o Fenômeno admitiu o cenário complicado.
"Infelizmente o cenário hoje é bem complicado, com receitas até o próximos dois anos já antecipadas, inclusive já gastas. Nós encontramos um cenário realmente trágico no clube, mas temos que estancar o sangramento. Diria que o Cruzeiro é um paciente em estado grave, na UTI, e nós estamos oferecendo o tratamento necessário para que ele saia dessa condição. Que possamos fazer o máximo pra que seja o clube grande que merece ser", afirmou.
Ronaldo repetiu o discurso da nota oficial em relação à não renovação de Fábio ao dizer que fez "todo esforço que podia ter feito" para mantê-lo e admitiu que ainda é surpreendido com novos problemas ao se aprofundar nas finanças do Cruzeiro. "Cada dia que abrimos uma gaveta encontramos alguma surpresa negativa".
Por fim, Ronaldo garantiu que não pretende desistir da compra da SAF do Cruzeiro, apesar de no momento ter apenas um acordo de intenção de compras mesmo já cuidando da gestão.
"No contrato, há essa saída (de desistir da compra). Mas está longe da minha cabeça, do meu pensamento desistir do projeto. No momento estamos no processo de análise do clube, entender o tamanho do buraco, o tamanho da dívida, entender os credores. Meu desejo é continuar e ficar aqui até fazer com que o clube volte a ser grande como era antes."