Gabigol - WILIAN OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
GabigolWILIAN OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Por O Dia
Rio - Gabigol ficou no banco de reservas no primeiro tempo da partida contra o Fortaleza, no último sábado, no Maracanã. O artilheiro entrou apenas no segundo tempo e marcou o gol da vitória nos minutos finais. Na saída de campo, o camisa 9 se mostrou irritado.
Publicidade
Em participação no podcast ‘Posse de Bola’, do Uol Esporte, Arnaldo Ribeiro rasgou elogios a Gabigol. O jornalista afirmou que o atacante é o maior jogador do futebol brasileiro na atualidade e que o técnico Domènec Torrent deve ter entendido que não pode deixar Gabigol no banco de reservas, o comparando estrelas de outros times brasileiros e até internacionais.
"Tem jogadores que são especiais, e o Gabigol é o maior jogador do futebol brasileiro na atualidade. Não deu certo na Europa porque não consegue entender essa coisa do rodízio, é verdade também. Agora, ele é diferente dos outros, ele queria jogar contra o Fortaleza, ele descansou contra o Bahia. Ele gosta de jogar todas as partidas, assim como Messi, assim como o Cristiano e assim como o Neymar. Tem rodízio em todos esses times, mas o Messi joga todas, o Cristiano joga todas e o Neymar joga todas", disse Arnaldo.
Publicidade
"O Dudu jogava todas no Palmeiras, e o Gabigol está para o Flamengo como o Dudu estava para o Palmeiras, ele tem que jogar todas. Ele é maior do que os outros. Assim como o Daniel Alves no São Paulo, tem que jogar todas, paciência. E o Domènec já entendeu isso. Então vai ter rodízio em todo mundo, mas não vai ter rodízio mais no Gabigol, porque ele precisa jogar todas, ele é um jogador especial. E ele em campo justifica", completa.
Na opinião do jornalista, o status de Gabigol no Flamengo é diferente em relação a outros jogadores do clube, como Bruno Henrique, Everton Ribeiro e Arrascaeta. Por isso, não deveria fazer parte do rodízio de jogadores no Campeonato Brasileiro.
Publicidade
"Gabigol não é um jogador que se desgasta de uma forma que não consiga jogar o tempo todo do mesmo nível. Não, ele vai querer jogar todas as partidas. Ele é capaz de decidir a maioria dos jogos, então eu imagino que o Flamengo mantenha o seu rodízio, mas que o Gabriel esteja fora do rodízio depois de tudo o que aconteceu. Isso acontece em vários clubes da Europa e acontece em alguns clubes do Brasil também. Mas o Gabigol tem que jogar todas, porque é um jogador diferente. Bruno Henrique não é do mesmo jeito, o Arrascaeta não é do mesmo jeito, o Everton Ribeiro não é do mesmo jeito, o Gabigol é especial e vai querer jogar todas, esse é o fato", prosseguiu.
"Eu insisto, o maior jogador brasileiro até o Flamengo do Jesus tomar esse trono, era o Dudu, no Palmeiras, e o Dudu não ficava no banco, o Dudu não ficava fora de relação, o Dudu jogava todas. E o Gabigol tem que jogar todas, porque são jogadores diferentes. E acho que na cabeça de todos lá vai ter essa situação. O Bruno Henrique não é do mesmo jeito, o Arrascaeta não é do mesmo jeito, o Everton Ribeiro não é do mesmo jeito, o Gabigol é especial e o Gabigol vai querer jogar todas, esse é o fato", conclui.