Arrascaeta quer uma valorização salarial, mas o Fla faz 
jogo duro
Arrascaeta quer uma valorização salarial, mas o Fla faz jogo duro Marcelo Cortes / Flamengo
Por O Dia
Rio - A crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus contribui para a atual situação de Arrascaeta no Flamengo. O meia está com renovação contratual travada e deseja uma valorização salarial, além da compra dos 20% dos direitos econômicos. O uruguaio possui vínculo até o fim de 2023.
Pouco antes da pandemia do novo coronavírus, a diretoria havia fechado as renovações de Willian Arão, Bruno Henrique e Everton Ribeiro, todos considerados peças-chave no grupo campeão.
Publicidade
Já com as receitas comprometidas pela pandemia e os portões do Maracanã fechados, os negócios posteriores foram feitos em bases bastantes diferentes. Vale lembrar o caso de Diego Alves, que renovou o contrato após longas conversas com a diretoria rubro-negra. Já Rafinha, não fechou a negociação com o Flamengo e fechou com o Grêmio.
Prejudicado pelo "timing", o uruguaio não conseguiu o aumento desejado e a compra de parte dos seus direitos. As partes conversam, mas dinheiro anda em falta. O Flamengo reconhece e quer o novo negócio, que está vinculado até dezembro de 2023, mas entende que o momento impede grandes saltos.
Publicidade
Fora do jogo contra o Vasco, o meia se recupera de entorse no tornozelo e se reapresentou normalmente no clube. Arrascaeta ainda é dúvida para estreia da Libertadores, contra o Vélez Sarsfield.