Flamengo e LDU
Flamengo e LDUAlexandre Vidal / Flamengo
Por O Dia
Depois de um primeiro tempo avassalador e uma segunda etapa com fortes emoções, o Flamengo bateu a LDU por 3 a 2, no Estádio Casa Blanca, em Quito, e manteve a invencibilidade na Libertadores, com três vitórias em três jogos. Os gols foram marcados por Gabigol, duas vezes, e Bruno Henrique. Borja e Amarilla descontaram para os equatorianos.
O Flamengo engoliu a LDU no primeiro tempo. A impressão que os telespectadores tiveram era de que o time rubro-negro era a equipe acostumada a jogar na altitude de 2.800 metros de Quito. O clube brasileiro abriu o placar logo aos dois minutos, com Gabigol. Everton Ribeiro, que voltou a ser aquele de outrora, avançou pelo meio, limpou a marcação e tocou para o camisa 9, que invadiu a área, deslocou o goleiro e balançou a rede.
Publicidade
Após abrir o placar, o Flamengo manteve a pegada ofensiva, na busca pelo segundo gol. Aos 23, o Rubro-Negro quase conseguiu ampliar o marcador. Everton Ribeiro chutou de fora da área e Gabbarini espalmou para escanteio. Mas, no lance seguinte, o goleiro da LDU não conseguiu salvar. Depois de boa troca de passes, Gabigol tocou para Bruno Henrique, que chutou de fora da área, encobriu o arqueiro e marcou uma pintura.
No segundo o tempo, o roteiro do jogo mudou da água para o vinho, com os primeiros 15 minutos assustadores para o Flamengo. Diego Alves, com dores musculares, sequer voltou para a etapa final e deu lugar a Hugo Souza, que não entrou bem no jogo.
Publicidade
Logo aos quatro minutos, a LDU diminuiu o marcador e com direito a "lei do ex". O atacante Borja, que passou pelo Flamengo há 11 anos, aproveitou bem o cruzamento de Alcívar e colocou para dentro. Aos 12, João Gomes sentiu a altitude e pediu para ser substituído, e Hugo Moura entrou. Aos 15, o time equatoriano chegou ao empate. Após cobrança de escanteio na área de Billy Arce, Amarilla aproveitou a falha na marcação rubro-negra e mandou para o gol.
Depois do segundo gol da LDU, o Flamengo acordou no jogo, mesmo com os jogadores sentindo os efeitos da altitude de Quito. O Rubro-Negro teve duas boas chances de desempatar em cobrança de falta e voltar a ficar na frente do marcador. A primeira foi aos 25 minutos foi com Arrascaeta. O uruguaio bateu bem e acertou o gol, mas o goleiro fez boa defesa. Aos 28, foi a vez de Diego. O camisa 10 bateu colocado e tirou tinta do travessão. 
Publicidade
Mas, aos 36, o Flamengo de tanto pressionar conseguiu chegar ao terceiro. Arrascaeta foi lançado na área por Filipe Luís, sofreu o toque de Corozo, caiu, e a arbitragem marcou penalidade máxima. Gabigol pegou a bola e bateu muito bem para deixar o Rubro-Negro na frente novamente.
Além de dar os três pontos e a vitória fora de casa, o camisa 9 entrou na história do clube carioca ao marcar o 16º gol pelo Flamengo em Libertadores e igualar nada mais nada menos que Zico, maior ídolo do Rubro-Negro. Inclusive, essa foi a primeira vez na história que o Fla conseguiu três triunfos seguidos nos três primeiros jogos na fase de grupo do torneio sul-americano.
Publicidade
O Flamengo volta a campo pela Libertadores na próxima terça-feira (11) para pegar o Unión La Calera, novamente fora de casa, no Chile, às 21h30, pela quarta rodada da competição. Atualmente, o Rubro-Negro é o líder do Grupo G, com nove pontos, e está a cinco na frente do segundo colocado, atualmente o Vélez.