Adolescente desaparecida em Jacarepaguá é encontrada em São Paulo

Angie Victoria, de 17 anos, foi sozinha de baldeação até a cidade de Caraguatatuba, no litoral paulista, e procurou a família por conta própria, segundo informou a mãe da adolescente

Por O Dia

Angie Victoria Moreira Britto Cotias
Angie Victoria Moreira Britto Cotias -

Rio - A jovem Angie Victoria, de 17 anos, que estava desaparecida desde o dia 12 de junho foi localizada no sábado pela família na cidade de Caraguatatuba, em São Paulo. A mãe, Lenne Moreira, foi de carro encontrar a filha e retornou na manhã deste domingo ao Rio. 

Lenne informou que Angie procurou por conta própria a delegacia. "Disse que estava com saudade do meu abraço. Sou religiosa e fizemos um movimento de oração muito grande, pedi muito a Deus para que ela desejasse voltar e ela me procurou", comentou. Lenne informou que a moça está estável, recebeu atendimento médico protocolar na cidade paulista e está em repouso, recebendo apoio psicológico.

A mãe informou que Angie estava sozinha e que, como é menor de idade e estava sem documento, fez baldeações de ônibus até a cidade de São Paulo e de lá para a cidade do litoral. Um dinheiro que era guardado em casa para casos de emergência foi usado. "Acho que o fato de o dinheiro ter acabado também foi decisivo para ela decidir voltar".

Segundo familiares, Angie apresenta quadro de depressão e foi diagnosticada com Transtorno de Borderline (caracterizado por um padrão de instabilidade contínua no humor). Lenne desconfia que no dia do desaparecimento, Angie não havia tomado os remédios. 

Na quinta-feira, o Portal dos Desaparecidos divulgou cartaz com a foto da adolescente vista pela última vez por volta das 18h de terça andando em direção à estação Pedro Correia do BRT Transcarioca, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. 

Os sintomas mais comuns da síndrome englobam instabilidade emocional, sensação de inutilidade, insegurança, impulsividade e relações sociais prejudicadas.

Últimas de Rio de Janeiro