Terreiro de candomblé é destruído em Nova Iguaçu

Babalorixá conta que, além dos pertences quebrados, vários objetos foram furtados

Por Raimundo Aquino

Pai de santo Jorge T'Oyá contabilizou prejuízo de mais de R$ 20 mil
Pai de santo Jorge T'Oyá contabilizou prejuízo de mais de R$ 20 mil -

Rio - Um terreiro de candomblé que fica em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, foi destruído nesta quarta-feira. De acordo com o pai de santo Jorge T'Oyá, ele estava em casa, em Nilópolis, quando recebeu uma ligação, por volta das 16h, dizendo que o espaço de cerca de 30 metros quadrados que mantém na Rua 23 de Agosto, em Cabuçu foi vandalizado. Ao chegar no local, deu de cara com um trabalho de quase dois anos perdido.

"Eu estou lá há um ano e oito meses, mas terminei de pagar o barracão há apenas quatro meses", conta o babalorixá, que enumera os prejuízos. "Quebraram as portas, derrubaram os muros e levaram o freezer, fogão industrial, televisão, botijão de gás e paramentos dos santos".

Segundo Jorge, o prejuízo foi de mais de R$ 20 mil. Ele conta que além dos furtos, mais de 300 imagens de santos que mantinha no local foram quebradas.

"Quando eu vi tudo destruído, eu queria morrer. É um trabalho de muitos anos. O local foi montado com a ajuda de meus filhos de santos que se juntaram para fazer um empréstimo. Agora estou com vontade de largar tudo", conta, enquanto é atendido na UPA de Edson Passos, em Mesquita, onde chegou com pressão alta após ver seu espaço destruído. "Até os tijolos de uma obra que eu estava fazendo roubaram".

O pai de santo ergueu o espaço com a ajuda de filhos de santo - Arquivo Pessoal

Suspeitas

Perguntado se tem alguma ideia de quem possa ter feito aquilo, ele diz que não tem noção. "Nunca recebi ameaça de ninguém. Sou uma pessoa idónea. Não faço mal a ninguém. Eu trabalho ajudando as pessoas. Me dou bem com todo mundo de lá", avisa.

O pai de santo diz que não faz ideia de como vai reerguer o local. Ele conta que vai fazer o registro de ocorrência na delegacia nesta quinta-feira.

Portas foram arrancadas e muros derrubados - Arquivo Pessoal
O babalorixá teve pressão alta quando viu a destruição - Arquivo Pessoal

 

Galeria de Fotos

Pai de santo Jorge T'Oyá contabilizou prejuízo de mais de R$ 20 mil Arquivo Pessoal
O pai de santo ergueu o espaço com a ajuda de filhos de santo Arquivo Pessoal
Portas foram arrancadas e muros derrubados Arquivo Pessoal
O babalorixá teve pressão alta quando viu a destruição Arquivo Pessoal

Últimas de Rio de Janeiro